Províncias

Novos técnicos médios no mercado de trabalho

Carlos Paulino | Menongue

A escola do 2º ciclo de ensino secundário de formação geral 22 de Novembro (Puniv), colocou ontem em Menongue, província do Kuando-Kubango, 153 finalistas nas especialidades de Ciências Físicas, Biológicas e Económicas Jurídicas, no mercado de trabalho, num curso que teve a duração de três anos.

A escola do 2º ciclo de ensino secundário de formação geral 22 de Novembro (Puniv), colocou ontem em Menongue, província do Kuando-Kubango, 153 finalistas nas especialidades de Ciências Físicas, Biológicas e Económicas Jurídicas, no mercado de trabalho, num curso que teve a duração de três anos.
Os recém formados receberam certificados, durante o acto de encerramento do ano lectivo, que decorreu nas instalações do comité provincial do Kuando-Kubango do partido MPLA, e ao qual estiveram presentes membros do Governo, professores, familiares e amigos.
O vice-governador da província para Organização e Serviços Técnicos, Simão Baptista, realçou que os quadros formados devem possuir virtudes e capacidade para interpretar os anseios da população, tendo em conta que são eles que detêm os conhecimentos adquiridos nas várias áreas de saber.        
Simão Baptista precisou que o caminho percorrido e o sacrifício consentido ao longo da formação deve significar motivo de orgulho individual e colectivo, sobretudo de reflexão, para que os ensinamentos adquiridos possam servir da melhor forma a sociedade, uma vez que são muitos desafios para o futuro. Salientou também, que a formação adquirida vai conferir a cada um dos formandos, no local de trabalho, a possibilidade de participarem activamente nas tarefas das comunidades, nomeadamente o saneamento básico, higiene e gestão e conservação de bens públicos.
Para ele, um homem formado deve ter uma conduta responsável e, sobretudo, disciplinada, para imprimir mudanças na sociedade.    
O governante destacou que o mercado de trabalho no país e em particular na província do Kuando-Kubango tem estado a melhorar significativamente, dando oportunidades de emprego aos jovens formados com as qualificações básica, média e superior. Relativamente àqueles que já estão a trabalhar, considerou que devem procurar qualificar-se sempre mais, aproveitando as várias oportunidades que vão surgindo.

Tempo

Multimédia