Províncias

Obras no Hospital Pediátrico estão em fase conclusiva

Weza Pascoal | Menongue

As obras de ampliação do Hospital Pediátrico de Menongue, na província do Cuando Cubango, paralisadas em 2014 devido à crise económica e financeira que afectou o país e reiniciadas em Maio último, decorrem sem sobressaltos, segundo a directora da unidade sanitária.

trabalhos nesse momento cingem-se na cobertura, roboco, canalização e instalação eléctrica
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

Ilídia Martins acrescentou que a empreitada, a cargo da empresa de construção civil Sociedade Comercial “Boa Ideia”, tem o seu término previsto para o próximo mês de Dezembro e neste momento os trabalhos cingem-se na cobertura, canalização, instalação eléctrica, reboco e aplicação de chão bruto nos novos compartimentos.
 As obras de ampliação, ainda de acordo com Ilídia Martins, vão permitir à unidade sanitária prestar novos serviços, tais como cuidados intensivos e intermédios, tratamento de doenças infecto-contagiosas, neonatologia, conservação de cadáveres (morgue), bem como aumentar a capacidade de internamento.
Ilídia Martins salientou que uma das principais prioridades recai para o aumento da capacidade de internamento, tendo em vista que na época chuvosa a unidade sanitária atende diariamente entre 200 e 300 pacientes e por falta de espaço muitos são internados nos corredores. “A nossa principal intenção é elevarmos a capacidade de internamento de 86 para pelo menos 150 camas, tendo em vista o elevado número de pacientes que atendemos diariamente, fazendo com que muitos sejam internados nos corredores, por falta de espaço”, disse.
Ilídia Martins defendeu a necessidade urgente de concluir-se as obras de ampliação, no sentido de prestar-se melhor assistência mé-
dica e medicamentosa aos pacientes.
O Hospital Pediátrico de Menongue tem dez salas de internamento, com 86 camas, um laboratório que não oferece muitas condições de trabalho, serviços de hemoterapia, triagem, banco de urgência, farmácia, cuidados intensivos, Programa Alargado de Vacinação (PAV) e Centro de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV).
  />Pacientes atendidos
O Hospital Pediátrico de Menongue atendeu durante o primeiro semestre do corrente ano  32.508 crianças com diversas patologias, das quais 1.929 foram internadas e 341 morreram.
As doenças mais frequentes foram a malária, com 19.298 casos, doenças respiratórias agudas, com 6.991 casos, diarreia aguda, com 3.381 ocorrências, e parasitose intestinal, com 1.126 casos.
 Durante o primeiro semestre do ano passado, a unidade sanitária atendeu 23.997 crianças com diversas patologias, das quais 3.545 foram internadas e 200 morreram.
 Ilídia Martins disse que a malária grave continua a ser a maior causa de mortalidade, porque, apesar das palestras que são ministradas todos os dias no referido hospital, muitos pais só levam os filhos à consulta quando o estado clínico já é preocupante, pois  optam primeiro por fazer tratamento tradicional.
 Disse que o Hospital Pe-diátrico está preparado em termos de medicamentos e de material gastável para dar resposta às necessidades dos pacientes durante a época chuvosa, período em que a unidade sanitária regista grandes enchentes.
 Ilídia Martins apelou aos pais e encarregados de educação no sentido de terem mais cuidado com as crianças, sobretudo na época chuvosa, primando sempre pela prevenção do paludismo a partir da eliminação do lixo, águas paradas, corte de capim ao redor das residências, uso de mosquiteiros e para ferverem a água para beber.
 O Hospital Pediátrico de Menongue é assegurado por sete médicos, dos quais quatro angolanos e três de nacionalidade cubana, 55 enfermeiros e 42 administrativos, que tudo têm feito para prestar uma melhor assistência médica e medicamentosa aos pacientes.

Tempo

Multimédia