Províncias

Pediatria com muitas transfusões diárias

O Hospital Pediátrico de Menongue, na província do Cuando Cubango, realizar em média cinco transfusões sanguíneas diariamente, situação considerada preocupante em função da falta de sangue, revelou a directora da unidade hospitalar.

Hospital continua a registar falta de sangue
Fotografia: Maria Augusta

Elsa Kanengu Kalenga disse à Angop que o hospital não possui reserva de sangue suficiente para atender os casos, o que tem feito com que familiares de pacientes sejam obrigados a doar sangue.
Perante este quadro, fez um apelo à sociedade no sentido de cultivar o hábito da doação voluntária de sangue.
Em alguns casos, a hemoterapia tem tido duas a três bolsas de sangue reservadas, consideradas insuficientes para responder às necessidades. O hospital não tem problemas quanto aos medicamentos, pois é abastecido de forma regular. “O hospital tem medicamentos suficientes para responder à procura.”
Durante o terceiro trimestre deste ano, a pediatria de Menongue registou 8.417 pacientes com patologias diversas.
A cifra representa uma redução significativa de ocorrências, em comparação com os dois primeiros trimestres do ano, durante os quais foram registados entre dez e 12 mil pacientes.
A diminuição dos números registados no banco de urgência deveu-se ao facto de a população ter acatado os conselhos básicos dos técnicos de saúde pública, principalmente quanto ao uso de mosquiteiros impregnados, eliminação do lixo ao redor das casas, preparação correcta dos alimentos e frutos, fervura de água para beber, entre outras medidas. A falta de chuvas durante o terceiro trimestre foi igualmente favorável para a diminuição de doenças. "Não tivemos charcos, que são grandes responsáveis pela reprodução de mosquitos", apontou a directora.
No segundo trimestre, o banco de urgência registou 10.769 casos, resultando em 2.127 internamentos por patologias diversas, sendo a malária com 7.405 casos, doenças diarreicas agudas com 970, e doenças respiratórias com 515 casos. No primeiro trimestre de 2014 registaram-se 12.204 casos, dos quais foram internados 2.512, sendo as patologias mais frequentes a malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas e parasitoses intestinais.

Tempo

Multimédia