Províncias

População da comuna do Longa já tem combustível na localidade

Carlos Paulino | Longa

Os habitantes da comuna do Longa, município do Cuito Cuanavale, província do Cuando Cubango, deixaram de percorrer 87 quilómetros até a cidade de Menongue, para a compra de gasolina, gasóleo e outros lubrificantes, com a inauguração do primeiro posto de combustível na circunscrição, construído pela Delegação Provincial da Caixa de Segurança Social, no quadro do seu projecto de reintegração social dos ex-militares.

Automobilistas e população em geral eram obrigados a percorrer mais de 80 quilómetros para chegar a Menongue em busca de combustíveis
Fotografia: Carlos Paulino | Edições Novembro

Orçado em 34 milhões de kwanzas, o empreendimento tem capacidade para armazenar 60 mil litros de combustíveis, sendo 30 mil de gasolina e igual número de gasóleo. O posto vai contar com uma loja que está neste momento em fase de acabamento, para a venda de lubrificantes, acessórios de carro, bens alimentares, bebidas, produtos de higiene, entre outros meios.
O delegado provincial do Cuando Cubango da Caixa de Segurança Social, brigadeiro Aires Tchilemo, disse que a concretização deste projecto veio dar resposta a uma orientação do Presidente da República, João Lourenço, na altura ainda como ministro da Defesa Nacional, que pediu a todos órgãos do Ministério para que trabalhassem para ajudar o governo no programa de diversificação da economia.
Aires Tchilemo realçou que a implementação deste projecto permitiu criar seis postos de trabalho, dos quais três para ex-militares e igual número para jovens da comuna do Longa, que ganharam o seu primeiro emprego. “A bomba de combustível vai ajudar  os automobilistas que saem da cidade de Menongue para os municípios do Cuito Cuanavale, Nancova, Mavinga e do Rivungo, bem como para as empresas que estão a explorar a madeira na região, os agricultores e a população no geral, que precisa de combustível para o funcionamento de geradores, devido à falta de fornecimento de energia eléctrica na comuna do Longa”.
Aires Tchilemo disse que o dinheiro que o posto de combustível render  permitirá  à Delegação do Cuando Cubango  da Caixa de Segurança Social apoiar os 1.300 associados inscritos na instituição a nível da província.
De acordo com Aires Tchilemo, a Delegação Provincial da Caixa de Segurança Social no Cuando Cubango tem ainda em carteira a implementação, nos próximos tempos, de projectos de 100 casas sociais do tipo T-3, no bairro do Tucuve, arredores da cidade de Menongue, para os pensionistas, a construção de bombas de combustíveis no município do Calai, Cuangar e Dirico, assim como a implementação de uma fazenda agro-pecuária no Cuito Cuanavale. 
Por sua vez, o administrador comunal do Longa, António Masseca, agradeceu o gesto da Caixa de Segurança Social por construir na sua área de jurisdição a primeira bomba de combustível, que fazia tanta falta no processo de desenvolvimento de vários projectos e programas, para o bem-estar social dos 16.256 habitantes.
Disse que este empreendimento vai reduzir significativamente a procura de combustíveis. O director provincial dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Paulo Jamba Barata, disse que a construção da bomba de combustível constitui uma mais-valia para os habitantes do Longa, pois enfrentavam muitas dificuldades para conseguirem o derivado do petróleo.
Solicitou às autoridades tradicionais e à população em geral da comuna do Longa no sentido de conservarem bem o posto de combustível, para que o mesmo possa durar muito tempo e cumprir com os objectivos pelos quais foi construído.
Paulo Jamba Barata pediu aos responsáveis da Caixa de Segurança Social no sentido de continuarem a desenvolver mais projectos em todos os municípios da província do Cuando Cubango, que vão permitir contribuir ainda mais na diversificação da economia nacional, reintegração social dos ex-militares e na criação de postos de trabalho.

                                                       Instituto Nacional de Defesa do Consumidor reforça acções
O município de Menongue,
na província do Cuando Cubango, conta, desde a semana finda, com três brigadas multissectoriais, criadas pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC), para a fiscalização de mercados e lojas, visando prevenir a comercialização de produtos expirados e controlo do preço dos produtos da cesta básica.
Segundo o director provincial do INADEC, Manuel Mateus.  as brigadas  integram quatro técnicos cada e noutros municípios a instituição tem trabalhado com as direcções municipais da Saúde e das Actividades Económicas, Serviço de Investigação Criminal (SIC) e com a representação do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social.
Disse que nesta época em que se aproxima a quadra festiva, o INADEC vai trabalhar mais na higiene dos estabelecimentos comerciais, conservação e fixação dos preços dos produtos. Manuel Mateus informou que, de Janeiro a Outubro, o instituto registou 20 infracções, menos dez em relação ao período anterior.
Explicou que a redução deveu-se ao  acatamento, por parte das empresas, dos conselhos da instituição sobre a necessidade de se preservar os direitos dos consumidores na prestação de serviços.
Indicou que das 20 infracções comerciais registadas, 15 são por reclamações feitas por clientes e cinco outras por denúncias, uma situação que considerou uma mais-valia no que tange ao serviço de fiscalização que o INADEC deve realizar, para defender os cidadãos. Admitiu ser difícil a instituição controlar taxativamente as infracções cometidas todos os dias na província, devido à falta de transporte, que possibilitaria a deslocação dos inspectores. As infracções têm acontecido com mais frequência nas lojas de venda de material de construção civil.

Tempo

Multimédia