Províncias

Primeiros licenciados concluem curso no próximo ano

Carlos Paulino | Menongue

O vice-reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, José Luís Mateus Alexandre, anunciou que pelo menos 150 estudantes de Biologia, Matemática e Enfermagem, das escolas superiores politécnicas de Menongue e Ondjiva, concluem o curso no próximo ano.

Em cada ano que passa aumenta o número de quadros de nível superior que têm dado o seu contributo para o desenvolvimento do país
Fotografia: Jornal de Angola

O vice-reitor da Universidade Mandume Ya Ndemufayo, José Luís Mateus Alexandre, anunciou que pelo menos 150 estudantes de Biologia, Matemática e Enfermagem, das escolas superiores politécnicas de Menongue e Ondjiva, concluem o curso no próximo ano.
José Luís Mateus Alexandre salientou que, neste momento, Os estudantes das escolas superiores das províncias de Kuando-Kubango e Cunene estão neste momento a preparar as monografias de defesa do fim de curso, para adquirirem o diploma de licenciados.
As escolas politécnicas de Menongue e Ondjiva, inauguradas em 2009, no quadro da expansão do ensino superior em todo o país, oferecem condições necessárias para a formação integral de cidadãos, com vista a contribuírem para o desenvolvimento socioeconómico de Angola, disse o vice-reitor.
A instituição prevê matricular este ano 2.236 novos estudantes, passando a contar com uma população estudantil de 8.545 alunos a nível da sexta região académica, que abrange as províncias do Kuando-Kubango, Huíla, Namibe e Cunene.

Dedicação e empenho

O vice-reitor sublinhou que a Universidade Mandume Ya Ndemufayo registou um crescimento na ordem dos 70 por cento, desde que foi criada. Em 2009, matriculou, pela primeira vez, 871 estudantes e actualmente conta com 6.932.
José Luís Mateus Alexandre solicitou aos docentes e discentes maior empenho, dedicação e profissionalismo.
O académico referiu ainda que os professores e estudantes devem adoptar cada vez mais a investigação científica como recurso de aperfeiçoamento constante dos conhecimentos, habilidades e valores.
Os estudantes devem ainda apresentar e emprestar o seu dinamismo na promoção e realização de eventos de natureza desportiva, cultural e recreativa, por serem elementos importantes para a formação integral, realçou.
O responsável universitário frisou igualmente que a instituição tem apostado seriamente no refrescamento e capacitação dos docentes. Por este facto, traçou um plano de formação pós-graduação, dentro e fora do país, no âmbito da sua visão estratégica para a melhoria da gestão do sistema do ensino superior.

Professores suficientes


O vice-reitor negou a informação publicada, na edição de 27 de Fevereiro do Jornal de Angola, segundo a qual as instituições adstritas à Universidade Mandume Ya Ndemufayo precisavam de 250 docentes, o que levou a reitoria a pedir a intervenção dos governos provinciais, para suprir esta dificuldade. Todos os cursos leccionados pelas instituições afectas à universidade têm docentes em número suficiente, afirmou. José Alexandre sublinhou que mesmo para o Instituto Superior da Huíla, inaugurado recentemente e que entra em funcionamento, ainda este ano, com oito cursos ligados às engenharias, existem docentes contratados nacionais e estrangeiros.

Tempo

Multimédia