Províncias

Professores em aprendizagem para o empreendedorismo

Carlos Paulino | Menongue

Mais de 40 professores do primeiro e do segundo ciclos do ensino secundário, dos municípios de Menongue, Cuangar, Cuchi e do Cuito Cuanavale, na província do Cuando Cubango, participam, desde ontem, num seminário de capacitação sobre empreendedorismo.

Professores de vários municípios da província do Cuando Cubango aprimoram conhecimentos para melhorar o processo de ensino
Fotografia: Edições Novembro

Durante cinco dias, os participantes vão ser capacitados pelas formadoras idas de Luanda, Helena Jardim e Anabela Ricardo, sobre o empreendedorismo no ensino em Angola, métodos de ensino e avaliação em empreendedorismo, avaliação da aprendizagem em empreendedorismo e elaboração de planos empreendedores.
O director provincial da Educação, Ciências e Tecnologia, Miguel Kanhime, disse que actualmente mais de 1.800 alunos do primeiro e do segundo ciclos do ensino secundário dos municípios de Menongue e do Cuchi beneficiam de aulas de empreendedorismo.
Recordou que a cadeira de empreendedorismo foi implementada no primeiro e no segundo ciclos do ensino secundário no país em 2010, mas no Cuando Cubango teve início apenas em 2014 e, numa primeira fase, abrangeu cinco escolas dos municípios de Menongue e do Cuchi. 
Miguel Kanhime afirmou que esta disciplina tem contribuído significativamente para o espírito de empreendedorismo, hábitos de poupança dos alunos, criação de pequenos negócios, realização de feiras de empreendedorismo nas escolas e a autoconfiança no desempenho dos estudantes.
“Temos que potenciar os nossos professores para que possam melhorar ainda mais a forma de actuar, para fazer um trabalho que visa contribuir para o processo de ensino e aprendizagem de qualidade”, defendeu, para acrescentar que o empreendedorismo é uma disciplina que veio para fazer com que a nova geração tenha possibilidades e dinâmica em criar negócios.

Abertura de micro empresas


Segundo Miguel Kanhime, é necessário que a juventude tenha instrumentos ou ferramentas próprias para criar o seu próprio negócio, com vista a melhorar as suas condições de vida e não depender do Governo.
O director provincial da Educação, Ciências e Tecnologia disse que o Governo angolano incluiu a cadeira de empreendedorismo no sistema escolar, para que as pessoas, desde a adolescência, saibam como criar um negócio, para que no futuro sejam bons empreendedores ou até mesmo empresários, para ajudar o país na diversificação da economia.
Miguel Kanhime apelou aos professores participantes para aproveitarem ao máximo e prestarem mais do que a costumeira atenção durante o seminário, para que possam adquirir conhecimentos que permitam corrigir os erros cometidos nos anos lectivos passados em várias escolas.

Tempo

Multimédia