Províncias

Professores em Menongue aprimoram conhecimentos

Manuel Pascoal | Menongue

Professores do Instituto Médio de Administração e Gestão (IMAG) no Kuando- Kubango melhoraram os seus conhecimentos pedagógicos, durante o II seminário de actualização pedagógica, que terminou na sexta-feira.

Professores do Instituto Médio de Administração e Gestão (IMAG) no Kuando- Kubango melhoraram os seus conhecimentos pedagógicos, durante o II seminário de actualização pedagógica, que terminou na sexta-feira.
Durante dois dias, os docentes aperfeiçoaram conhecimentos sobre a pauta deontológica de um profissional, procedimentos práticos para a avaliação contínua dos discentes, plano de aulas, avaliação de desempenho e regime interno do IMAG.
O director provincial da Educação em exercício, Filipe Lutonda, pediu aos docentes para transmitirem com rigor e fidelidade os conhecimentos adquiridos durante a formação, para desse modo colmatar as insuficiências detectadas durante o ano lectivo transacto.
Disse ainda que outro problema que contribui negativamente para o aproveitamento escolar prende-se com a falta de hábito de leitura dos alunos e, apesar de o instituto estar equipado com um sistema de Internet de banda larga, eles (os alunos) não fazem investigação dos vários temas escolares.
O vice-governador do Kuando-Kubango para o sector político e social, Pedro Camelo, disse que “se a província pretende quadros competentes, é necessário que tenhamos um ensino com um nível de exigência e qualidade de acordo com os padrões internacionais”.
O director do Instituto Médio de Administração e Gestão (IMAG), Simão Pedro Dala, disse ao Jornal de Angola que no presente ano lectivo estão inscritos 1.172 alunos nos cursos técnicos e médios de informática e de gestão, secretariado, contabilidade, e de formação básica de operador de informática, assistente de secretariado e auxiliar de contabilidade.
Pedro Dala disse que o IMAG está situado a cerca de cinco quilómetros do centro da cidade de Menongue e já se justifica um meio de transporte para a recolha dos docentes e discentes. A falta de pagamento dos salários dos professores, uma situação que já se arrasta desde 2009, também está a inquietar o director do instituto.

Tempo

Multimédia