Províncias

Profissionais de enfermagem carecem de atenção

Carlos Paulino | Menongue

A melhoria salarial, a dignificação da classe e a elevação contínua dos conhecimentos científicos, técnicos e profissionais foram apontados, na cidade de Menongue, capital da província do Cuando Cubango, como as principais preocupações dos enfermeiros angolanos, para melhorar as condições de trabalho que permitam prestar um serviço de qualidade à população.

Membros da Ordem dos Enfermeiros traçam novas estratégias para melhorar o desempenho dos técnicos de saúde na região
Fotografia: Carlos Paulino | Menongue

A constatação foi manifestada pelo secretário-geral da Ordem dos Enfermeiros de Angola (ORDENFA), Paulo Luvualo, no encerramento da segunda conferência provincial de renovação de mandatos, em que foi reconduzido Ernesto Jaime para o cargo de presidente desta organização profissional no Cuando Cubango.
Paulo Luvualo sublinhou que a ORDENFA tem estado a desempenhar o seu papel na defesa dos interesses da profissão, por forma a elevar a situação socioprofissional, a segurança social e as condições de trabalho da classe.
“Apesar das dificuldades que enfrentamos, os profissionais de enfermagem devem ser os primeiros a identificar as fragilidades ou os riscos de saúde pública na comunidade onde estão inseridos, assumindo um contínuo papel preventivo, uma vez que representam mais de 70 por cento da força de trabalho do sector da Saúde”, exortou. O secretário-geral da ORDENFA acrescentou que os enfermeiros são a porta de entrada dos cidadãos para o sistema de saúde e na maior parte dos casos os únicos a desempenhar o seu papel e de outros profissionais, pelo que devem orientar as comunidades na busca de soluções que ajudem a prevenção ou resolução dos problemas que se apresentam nas unidades sanitárias.
Paulo Luvualo realçou que ao assegurar a qualidade, profissionalismo, ética e respeito pelos valores das comunidades, os enfermeiros estão a demonstrar uma posição proactiva no combate sem tréguas às grandes endemias. “O impacto social da nossa acção no seio das comunidades, no trabalho quotidiano ou de contacto directo com a população exige profissionalismo”, disse, acrescentando que o novo conselho da ORDENFA na província do Cuando Cubango deve dar sequência à missão de institucionalizar os comités de ética de enfermagem, que devem ser assumidos como uma mais-valia para a melhoria da assistência sanitária.  Paulo Luvualo apelou ao novo conselho provincial da organização para trabalhar arduamente no sentido de controlar, disciplinar e fiscalizar o exercício da profissão na região, credenciando todos os profissionais de enfermagem e combater sem tréguas “os falsos enfermeiros infiltrados na classe", cujo exercício coloca em causa a qualidade de assistência e de vida dos cidadãos.
Paulo Luvualo salientou que é importante os enfermeiros a nível do país continuarem a olhar para a profissão como um meio de consagração do bem-estar social e dos direitos fundamentais dos cidadãos.
O presidente da ORDENFA no Cuando Cubango, Ernesto Jaime, agradeceu a confiança que lhe foi depositada para mais um mandato e prometeu que tudo vai fazer no sentido de fiscalizar melhor a actividade na província e interagir na identificação de problemas, na sensibilização pedagógica para a prevenção de doenças, através da educação da população, e na orientação das famílias às práticas saudáveis.
Ernesto Jaime afirmou que o exercício da actividade de enfermagem que se pretende só se legitima através de uma actuação que implique a ética, a deontologia e a qualificação profissional permanente, no sentido de assegurar e fazer respeitar o direito dos utentes a uma assistência médica e medicamentosa eficiente e de qualidade.

Tempo

Multimédia