Províncias

Programa de alfabetização regista uma grande adesão

Weza Pascoal | Menongue

Pelo menos 15.766 cidadãos da província do Cuando Cubango, com idades compreendidas entre os 12 e os 40 anos, concluíram as aulas de alfabetização e aceleração escolar no presente ano lectivo.

Número de alfabetizados continua a crescer
Fotografia: Nilo Mateus

O chefe de secção provincial da Educação de Adultos e Alfabetização, Agostinho Tololi, disse que a nível da província foram aplicados dois métodos, nomeadamente o “Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar” e o “Sim Eu Posso”, nos módulos I, II e III.
Em 2015, mais de 10 mil cidadãos aprenderam a ler e a escrever na província. O programa de alfabetização é assegurado por 200 alfabetizadores e 108 facilitadores.
Agostinho Tololi esclareceu que devido à escassez de salas,  as aulas de alfabetização são ministradas, na sua maioria, debaixo de árvores, varandas de residências, capelas de igrejas ou num outro lugar onde haja sombra e corrente eléctrica para a aplicação do método “Sim Eu Posso”.
Além das condições precárias em que são leccionadas as aulas de alfabetização, o responsável disse que a outra preocupação se prende com a questão monetária para o pagamento de subsídios aos alfabetizadores e facilitadores, que, referiu, apesar disso, tudo têm feito para ensinar as pessoas a aprenderem a ler e a escrever. Das dificuldades, apontou ainda o mau estado das vias de acesso, a aquisição de material didáctico e a distância que separa os bairros um dos outros.
O chefe de secção provincial da Educação de Adultos e Alfabetização recordou que, no mês de Julho deste ano, a Direcção Provincial da Educação declarou, pela primeira vez,  o bairro Tchipuaca 2, no município do Cuito Cuanavale, livre do analfabetismo, fruto da campanha de alfabetização “Sim Eu Posso”, um projecto que, segundo ele, conta com a parceria da República de Cuba.  Foram alfabetizadas no bairro Tchipuaca 480 pessoas, entre adultos e crianças.

Tempo

Multimédia