Províncias

Promovido seminário sobre o acesso ao crédito

Carlos Paulino | Menongue

Com o objectivo de se aumentar as áreas de produção agrícola, no âmbito do programa de combate à fome e redução da pobreza, a direcção nacional do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) promoveu, no final de semana, em Menongue, Kuando-Kubango, um seminário de capacitação sobre crédito de campanha agrícola e investimentos.

Participantes no seminário sobre crédito
Fotografia: Nicolau Vasco|Menongue

Com o objectivo de se aumentar as áreas de produção agrícola, no âmbito do programa de combate à fome e redução da pobreza, a direcção nacional do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) promoveu, no final de semana, em Menongue, Kuando-Kubango, um seminário de capacitação sobre crédito de campanha agrícola e investimentos.
A acção formativa, coordenada pelo director nacional adjunto do IDA, Miguel Pereira, contou com a participação de administradores municipais, representantes locais da promotora do evento e da Federação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agro-Pecuárias (UNACA), fazendeiros e agricultores.
Durante o encontro, foram transmitidas as bases essenciais aprovadas para o acesso ao crédito de campanha agrícola e de investimentos.
O vice-governador da província para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Simão Baptista, disse que a actual política de concessão de créditos bancários ao nível do sector agrário apresenta uma relativa vantagem para os médios e grandes agricultores, se comparados aos pequenos que constituem a maioria da classe. O responsável disse que bem organizados e apoiados, estes agricultores podem relançar, a médio prazo, o ramo da agricultura.
“O aumento da produção agrícola decorre da melhor forma na utilização dos solos, uso adequado de fertilizantes e da maturação de pesquisas agronómicas”, frisou Simão Baptista.
Assim, o vice-governador defendeu a necessidade imperiosa da reorganização ou orientação das associações de camponeses e de cooperativas agrícolas, com intervenção directa da UNACA, com vista a se criar mecanismos adequados para o incremento da política de concessão de créditos agrícolas.
Simão Baptista disse ser fundamental o envolvimento, nesta tarefa, dos órgãos do Executivo ligados ao sector e de outros parceiros sociais, acrescentando que uma atenção especial deve ser dada às populações com dificuldades de acesso às terras aráveis.
Segundo o governante, esta seria a forma de libertar a pressão em relação à criação de empregos no meio rural e de diminuir o fluxo migratório entre o campo e a cidade, assim como abriria perspectivas claras de redução da pobreza e da segurança alimentar em muitos pontos da província, onde há vocação para a produção agrícola.
O vice-governador apelou igualmente para que se cadastrem os agricultores, quer em associações, quer em cooperativas, com vista a saber quantos são, onde estão e o que fazem actualmente.
Na província do Kuando-Kubango, a UNACA controla 894 associações e 147 cooperativas de camponeses. No total 115 associações e 24 cooperativas já beneficiaram de crédito agrícola, em 2008, num valor de 111.952.350 kwanzas.

Tempo

Multimédia