Províncias

Protecção Civil e Bombeiros remove 28 corpos abandonados

Lourenço Bule | Menongue

O Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, no Cuando Cubango, removeu durante o ano de 2018, 28 cadáveres na via pública, por causas desconhecidas, informou ontem ao Jornal de Angola, em  Menongue, o porta-voz da instituição, agente de 2.ª classe Júlio Muliata.

Fotografia: DR

Júlio Muliata disse que o Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, em coordenação com o Serviço de Investigação Criminal (SIC), está a trabalhar para esclarecer as causas  da morte de 28 pessoas, no município de Menongue.
 Informou que  em 2018 registou-se também a morte de dez pessoas e o ferimento de outras 12 por descargas eléctricas que atingiram mortalmente 14 cabeças de gado bovino.  No mesmo período 45 lavras foram devastadas por hipopótamos.
 O porta-voz disse  que em 2018, a instituição que representa registou a destruição parcial de 781 residências e 136 totalmente destruídas, em consequência das fortes chuvas que caíram na província, onde cinco mil e 502 pessoas ficaram afectadas pelas calamidades. Houve 19 ataques de abelhas, seis dos quais mortais, de animais ferozes, cinco desencarceramentos de vítimas de acidentes de viação e igual número de prestação de socorro a incidentes por descarga eléctrica.
 Júlio Muliata  fez saber que, no ano findo, três foram vítimas de ataques de crocodilos e uma morte registada e sete feridos, devido ao desabamento de uma residência e cinco igrejas em consequência das chuvas.
O porta-voz  informou que o Cuando Cubango tem cerca de 59 áreas de risco,  incluindo a cidade de Menongue.

Tempo

Multimédia