Províncias

Província prevê colher toneladas de alimentos

Weza Pascoal | Menongue

A direcção Provincial Agricultura e Desenvolvimento Rural, no Kuando-Kubango, prevê colher, na presente campanha agrícola, 200 mil toneladas de alimentos, o que vai minimizar os efeitos da seca no Cuangar, Calai, Dirico e Nankova.

O director em exercício da Agricultura, Domingos Raimundo Gonga, disse que em Menongue, Cuchi, Cuito Cuanavale, Mavinga e Rivungo, onde, em cada município foram preparados 150 mil hectares para o cultivo de cereais, tubérculos, hortofrutícolas, feijão, abóbora, melancia e outros produtos do campo, as chuvas caem com regularidade.
A Direcção Provincial da Agricultura está a apoiar 6.230 famílias camponesas, 273 associações e 1.­610 cooperativas, com um a­companhamento directo na preparação das terras, orientação das sementeiras e aplicação dos adubos para que se possa atingir as metas preconizadas.
Os camponeses da região receberam 90 mil enxadas, 106 sacos de adubo composto, 25 charruas de tracção animal, oito caixas de sementes de melancia, tomate, cebola, repolho e cenoura. Com estes instrumentos, os agricultores estão em condições de cultivarem produtos em grandes quantidades .
O responsável da agricultura na província  disse que a chuva começou a cair tarde na província, mas ainda se esperam bons resultados e lembrou que, em função de haver zonas afectadas pela seca, o Governo Provincial vai comprar aos camponeses os excedentes das colheitas. Domingos Gonga lamentou o facto das zonas assoladas pela estiagem o ano passado continuarem sem qualquer sinal de chuva, prevendo-se uma prolongada estiagem nestas regiões e o agravamento da fome.
O Governo da Provincial, em co­ordenação com os técnicos do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA), está a efectuar estudos para fazer  nas zonas mais afectadas pela estiagem uma agricultura de irrigação, tendo em conta que maior parte das aldeias e bairros estão situados próximo dos rios.
Domingos Raimundo Gonga disse que a produção de arroz na fazenda agro-industrial do Longa continua em alta. Acrescentou que a zona de cultivo foi ampliada para mais mil hectares.
Na primeira fase, foram cultivados 500 hectares e a colheita foi de 1.500 toneladas de arroz que já foram processados e empacotados em embalagens de cinco e 25 quilos, aguardando o seu lançamento oficial no mercado de consumo.

Tempo

Multimédia