Províncias

Província tem inertes para garantir obras

Carlos Paulino | Menongue

O chefe de secção de Controlo de Produção de Minas, Domingos Bimba Incha, garantiu em Menongue que a província do Cuando Cubango tem inertes suficientes para dar resposta às tarefas de construção e reabilitação de infra-estruturas sociais, que visam melhorar as condições de vida das populações.

Domingos Bimba disse que neste momento a Direcção Provincial da Indústria e Geologia e Minas controla cinco britadeiras no município de Menongue, que produzem trimestralmente cerca de 30 mil metros cúbicos de brita, um número que satisfaz as várias obras de construção e reabilitação na província desde a conquista da paz efectiva em 2002.
A instituição controla também duas empresas que exploram areia, que tem servido para a edificação de escolas, hospitais, postos e centros médicos, habitações, estradas, pontes e caminho-de-ferro.
As empresas de exploração de inertes são sete, mas só uma está licenciada. Segundo o novo código mineiro, a empresa que pretende explorar inertes ou minas deve legalizar a sua actividade a partir do Ministério da Geologia e Minas. As actividades das empresas que estão ilegais para a exploração de inertes não foram ainda paralisadas porque têm estado a prestar um grande apoio no processo de reconstrução da província, que ainda vive marcas pesadas da guerra que assolou o país.
“Até agora não tomámos medidas para a paralisação da exploração de inertes, porque o trabalho da reconstrução nacional não pode parar. Apesar disso demos um prazo de três meses para que legalizem as suas actividades”, disse para avançar que estas empresas têm prestado apoio social às zonas vizinhas onde estão instaladas as britadeiras, com a construção gratuita de escolas, postos médicos e alimentação.

Tempo

Multimédia