Províncias

Quadros da saúde estão no mercado

Carlos Paulino| Menongue

Francisca Baptista, em nome de 85 enfermeiros acabados de formar, fez um juramento: "juro ser uma boa enfermeira, cumprir com ética e deontologia profissional, ser carinhosa com todos os doentes, obediente, valente, respeitar os meus superiores hierárquicos e trabalhar onde for possível para levar a assistência médica e medicamentosa às populações nas áreas mais recônditas da província".

Enfermeiras durante o juramento onde se prontificaram em prestar todo o apoio aos pacientes
Fotografia: Nicolau Vasco

Francisca Baptista, em nome de 85 enfermeiros acabados de formar, fez um juramento: "juro ser uma boa enfermeira, cumprir com ética e deontologia profissional, ser carinhosa com todos os doentes, obediente, valente, respeitar os meus superiores hierárquicos e trabalhar onde for possível para levar a assistência médica e medicamentosa às populações nas áreas mais recônditas da província".
O juramento foi proferido durante a cerimónia, na cidade de Menongue, de apresentação dos finalistas do curso básico de enfermagem, que teve a duração de dois anos e seis meses, no centro provincial do Kuando-Kubango de formação permanente de saúde.
No rosto dos finalistas era notória a alegria, incluindo a dos seus familiares que deixaram os seus afazeres para testemunhar o acontecimento de grande importância para quem sempre teve o sonho de algum dia ser um enfermeiro e poder contribuir para a redução do índice de mortalidade materno infantil e combater as grandes endemias que na região são muito frequentes.
"Foram momentos difíceis que passámos para chegar até este grande dia, mas graças a um redobrar de esforços, hoje conseguimos concretizar aquilo que no princípio achávamos que era muito difícil para alcançar e lamentamos o facto de muitos colegas terem abandonado o curso", afirma uma mensagem lida por Francisca Baptista em nome dos colegas que acabaram o curso.
Os novos enfermeiros assumiram o compromisso perante a população de que os conhecimentos adquiridos no curso vão ser colocados em prática, para um bom atendimento aos pacientes "em qualquer parte do território nacional e em particular da província do Kuando-Kubango".
O director provincial da Saúde, Fernando Cassanga, disse que o curso constituiu uma vitória para a província do Kuando-Kubango e apesar de ganhar novos técnicos para o seu sector, o caminho a percorrer ainda é muito longo tendo em atenção a exiguidade de quadros na região sudeste de Angola.
A falta de instalações adequadas e apetrechadas que este tipo de cursos exige, os constrangimentos verificados no pagamento de subsídios para os professores e a falta de um lugar para acomodar os alunos vindos do interior da província, foram os principais obstáculos enfrentados durante o período de formação.
Segundo o director provincial da Saúde, 240 alunos foram matriculados inicialmente, mas deste número somente 85 chegaram ao fim. Por isso, pediu aos desistentes para regressarem nos próximos ciclos de formação, porque de contrário vai ser muito difícil preencher o quadro técnico das unidades sanitárias existentes e em construção na província.
Os hospital municipais do Cuchi, de Mavinga e de Nancova, o posto de saúde do Calai e os três novos centros médicos, em fase de acabamento, no município de Menongue, precisam de muitos técnicos para garantirem o seu funcionamento, razão pela qual Fernando Cassanga faz votos de que os jovens se interessem cada vez mais pela enfermagem.
Fernando Cassanga referiu que apesar do carinho, zelo e dedicação dos trabalhadores da saúde no cumprimento da sua missão, a maior parte dos enfermeiros continua a denotar uma fraca prestação nos seus locais de trabalho e são necessários incentivos adicionais para um atendimento melhor dos pacientes.
"Esta situação faz com que ainda estejamos longe de atingir as metas em termos de satisfação dos nossos pacientes e de todos aqueles que procuram os serviços administrativos e de assistência médica e medicamentosa", afirmou. Fernando Cassanga enalteceu os formadores que, apesar das dificuldades, continuam a transmitir os seus conhecimentos a custo zero.
 
Combate às doenças
 
O vice-governador da província para a área política e social, Pedro Camelo, no discurso de encerramento da cerimónia, afirmou que o Governo Provincial do Kuando-Kubango vai continuar a desenvolver esforços para em conjunto com os técnicos da saúde trabalhar afincadamente na redução da taxa de prevalência do HIV/Sida, tuberculose, malária, mortalidade materno infantil, entre outras endemias que afectam a região.
Pedro Camelo afirmou que o governo tem o dever e a obrigação de criar as condições necessárias para os técnicos de saúde exercerem a sua profissão sem problemas e é nesta direcção que o Executivo tem vindo a trabalhar construindo centenas de unidades sanitárias em toda a província do Kuando Kubango, para uma melhor assistência à população. "Todos nós já fomos testemunhas das situações de bons e maus atendimentos nos nossos hospitais, por isso, não nos custa reconhecer que o atendimento dos pacientes se relaciona directamente com a imagem agradável ou desagradável, eficiente ou deficiente dos profissionais de saúde", disse, acrescentando que a qualidade da assistência é um factor chave para o bom funcionamento do sector e constitui a regra de ouro para a cura dos doentes.
"Pretendemos despertar a atenção dos profissionais que acabam de fazer o seu juramento, de que o enfermeiro deve ter uma conduta digna, defendendo sempre a imagem da sua instituição e a deontologia profissional", afirmou Pedro Camelo. O vice-governador da província para a área política e social acrescentou: "temos fé que o vosso enquadramento no sector da saúde vai trazer muitas vantagens do ponto de vista da assistência e temos a certeza de que com os conhecimentos adquiridos vão salvar milhares de vidas humanas.
O desafio do alcance das Metas de Desenvolvimento do Milénio e a execução dos "11 Compromissos da Criança" traçados pelo Executivo exige que o enfermeiro seja um elemento de destaque para a concretização destes ambiciosos projectos". Pedro Camelo desejou aos finalistas um ano novo próspero.     

Tempo

Multimédia