Províncias

Rede de água potável chega a mais lugares

Weza Pascoal | Menongue

Mais de oito mil moradores do bairro Cazenga, arredores da cidade de Menongue, beneficiam desde ontem de água potável a partir de um sistema de captação, tratamento e distribuição.

Técnico Gelson Bento controla as obras
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

Inaugurado pelo vice-governador para os Serviços Técnicos do Cuando Cubango, Joaquim Malichi, o sistema foi construído no quadro do programa “Agua para Todos” e tem capacidade para bombear dez metros cúbicos de água por dia.
Joaquim Malichi disse que a construção do sistema de captação faz parte do programa do Governo para a extensão de serviços e melhoria do nível de vida das populações, tendo em conta que o abastecimento de água é um dos maiores problemas das comunidades.
O vice-governador provincial referiu que a iniciativa vai ajudar a colmatar as necessidades das populações de localidades afectadas pela estiagem, com cacimbas secas, o que faz com que as pessoas percorram longas distâncias à procura de água para consumo humano e animal.
Antes da montagem deste sistema, a população do bairro Cazenga recorria às cacimbas, rios e lagoas para o abastecimento de água potável, com sérios riscos para a propagação de várias doenças.

Doação de sangue


Os hospitais Central e Militar de Menongue estão com as reservas de sangue mais reforçadas, desde ontem, após receberem 190 litros do produto, fruto de uma doação de um grupo de 380 jovens das províncias de Cuando Cubango e de Luanda.
Dos 380 dadores de sangue, 310 pertencem ao secretariado provincial da JMPLA e instruendos do Ministério do Interior do Cuando Cubango e 70 outros à Brigada Jovens Solidários, que se juntaram à doação para ajudar a suprir as necessidades dos hospitais.
O vice-governador provincial do Cuando Cubango para o sector Político e Social, Pedro Camelo, agradeceu o gesto da Brigada Jovens Solidários de Luanda, pois saíram de muito longe para demonstrarem o seu amor pelos que mais necessitam, o que “é louvável”.
Adão Feliciano, assistente para a área de mobilização da Brigada dos Jovens Solidários de Luanda, disse que a organização já doou sangue em todas as províncias do país, sendo esta a segunda vez que o fazem a nível do Cuando Cubango, respondendo ao grito de socorro lançado pelas autoridades sanitárias.
“Temos diariamente uma grande alegria, porque jovens de todo o país aderem à nossa brigada e abraçam esta causa nobre, que é salvar vidas.” Adão Feliciano assegurou igualmente que as doações de sangue vão continuar, estando a associação filantrópica a criar condições para desenvolver uma actividade denominada "Angola Vermelha", que consiste em levar solidariedade a mais pessoas e garantir a salvação de vários necessitados.
A secretária da Brigada dos Jovens Solidários, Raquel da Lomba, convidou todas as pessoas  a abraçarem a causa da  organização, porque “doar sangue não é apenas salvar vidas, mas é sobretudo dar amor e carinho ao  próximo”.

Tempo

Multimédia