Províncias

Registadas 64 mortes de recém-nascidos

Weza Pascoal | Menongue

A Maternidade Provincial do Cuando Cubango efectuou, durante o primeiro semestre do corrente ano, mil e 26 partos, dos quais 64 terminaram com a morte dos recém-nascidos, e o falecimento de duas parturientes,  informou ontem ao  Jornal de Angola, a directora da instituição, Delfi-na Jamba.

um número significativo de grávidas aderiu à campanha de consultas pré-natal
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

A responsável disse que no referido período o Banco de Urgência do Hospital atendeu 5 mil 852 gestantes nas especialidades de ginecologia e obstetrícia. O centro de Aconselhamento e Testagem Voluntária , segundo Delfina Jamba, registou o atendimento de mil 514 mulheres, das quais 38 foram diagnosticadas com VIH/Sida. Durante  os trabalhos de parto realizou-se25 cortes de transmissão vertical, terapia que serve para evitar o contágio do vírus do VIH/Sida da mãe para o filho durante o parto.
A responsável da maternidade fez saber que durante o período em referência foram realizadas  consultas pré-natal a duas mil 408 mulheres, entre elas 850 adolescentes dos 14 aos 17 anos de idade.  O Hospital efectuou ainda  consultas de planeamento familiar a  mil e 536 mulheres.
Delfina Jamba informou que na instituição que dirige tem se registado, nos últimos tempos,  “redução significativa” de morte materna. “Os casos complicados são transferidos para a maternidade do Hospital  Geral da província que  está equipada com meios modernos para dar resposta a estas situações”, disse.
Diariamente a Maternidade Provincial atende cerca de 40 grávidas,  um número elevado, segundo  Delfina Jamba, que se regista “ graças ao trabalho de sensibilização dos meios de comunicação social, que aconselham as grávidas a aderir às consultas pré-natal a partir do primeiro mês de gestação”.
/>Necessidades
da  maternidade
Com capacidade para 45 ca-mas , a Maternidade Provincial do Cuando Cubango é assegurada por três médicos, dos quais  dois angola-nos e um de nacionalidade cubana, 58 enfermeiros, en-tre eles 22 licenciados  na especialidade. O quadro de funcionários é completado com  49 administrativos.
A unidade hospital tem serviços de consulta pré-natal, Banco de Urgência, planeamento familiar, Programa Alargado de Vacinação, farmácia, laboratório, sala de parto, salas de internamento, lavandaria e uma cozinha.
“Precisamos de mais mé-dicos nas especialidades de medicina interna, neonatologia, ginecologia , obstetrícia e anestesia. Estamos a precisar igualmente de técnicos de diagnóstico e terapêutico, enfermeiros licenciados, técnicos de enfermagem e instrumentistas”, disse.
“A maternidade”, prosseguiu ,“ necessita ainda de um bloco operatório devidamente equipado, ambulâncias , morgue, ampliação da sua estrutura, residências para os médicos e enfermeiros e um posto policial”.  

Registo civil
O posto de Registo Civil instalado na maternidade registou de Janeiro à Julho do corrente  122 crianças recém-nascidas de forma gratuita, das quais 73 meninas e 49  rapazes.
O posto regista diariamente cerca de 10 crianças, número exíguo, segundo a directora, porque muitos pais não se fazem acompanhar dos Bilhetes de Identidade.

Tempo

Multimédia