Províncias

Rei de Menongue quer mais apoio para os camponeses

Weza Pascoal| Menongue

O rei de Menongue, Mwene Vunongue VIII, entronizado recentemente no cargo, solicitou, ontem, ao governador da província do Cuando Cubango, Júlio Bessa, maior celeridade na distribuição dos imputes agrícolas, “para permitir aos camponeses das diferentes localidades do interior da província identificarem novas zonas de cultivo junto aos rios, riacho ou pradarias para fazer face a uma eventual escassez de chuvas”.

Fotografia: Nicolau Vasco| Edições Novembro

Durante a audiência que lhe foi concedida pelo governador , o rei Mwene Vunongue VIII, pediu a criação de equipas especializadas para ajudarem os camponeses da região na escolha dos solos férteis, “para facilitar a produção de alimentos com fartura, sob pena de, no próximo ano, voltar acontecer episódios tristes de pessoas a morrerem por falta de comida”.
“Actualmente”, disse a alta autoridade tradicional, “a população está a sofrer por falta de alimentos, razão pela qual deve-se distribuir imputes agrícolas com antecedência, com realce para as sementes de milho, feijão, massango, massambala, os adubos e charruas, de formas a evitar-se que, no próximo ano, as pessoas sejam novamente afectadas pela seca”.
O Rei considerou necessário incentivar a população, sobretudo as que vivem nas zonas ribeirinhas, para não esperarem pelas chuvas, e “começarem já a cultivar” para minimizar a carência de alimentos. “ Devemos incentivar os que residem próximo dos rios para começarem imediatamente a cultivar.Temos de lhes entregar sementes, incluindo as de hortaliças, com vista a mitigação dos efeitos da seca mais rápido possível”, frisou.
A Eminente entidade disse ao governador que, as estradas debilitadas impedem o escoamento dos produtos do campo para os diversos mercados da província.“A questão das estradas também já constam das preocupações do nosso governador mas devemos ter um pouco de paciência porque a situação de construção de estradas é de âmbito nacional e não local”, explicou o rei à saída da audiência.

Igrejas Evangélicas fazem doação

A União das Igrejas Evangélicas de Angola (UIEA) doou, hoje, na cidade de Menongue, cerca de três toneladas de bens diversos para apoiar às vítimas da seca dos municípios do Cuangar, Calai, Dirico, Rivungo e Mavinga, localidades mais atingidas na região por este fenómeno natural.
Constam do donativo, milho, massango,bombó, fuba de milho, feijão-frade, macunde, entre outros produtos, arrecadados através de uma campanha de solidariedade desencadeada por fiéis da igreja.
O Jornal de Angola apurou que os meios recolhidos estão a ser transportados por uma aeronave missionária da UIEA para as referidas localidades.
O vice-presidente regional das Igrejas Evangélicas do Cuando Cubango, pastor Augusto Job, disse que a direcção da UIEA mobilizou fiéis em todo o país para acudir, de alguma forma, as dificuldades dos afectados pela estiagem na região Leste da província do Cuando Cubango.
“Decidimos fazer uma contribuição deste género, tendo em conta as possibilidades dos nossos fiéis, para acudir urgentemente os irmãos vítimas da seca”, sublingou, acrescentando que, “a população que está a receber ajuda deve guardar um pouco dos dos produtos para utilizar como sementes na próxima campanha agrícola, caso haja chuva. É uma forma de prevenir eventuais crie como esta”.
A alta autoridade tradicional disse que pediu ao governador manter a divulgação da cultura da provincia, como a realização sistemática dos rituais de dança e sessões culturais com palhaços.

Tempo

Multimédia