Províncias

Reitor pede aos técnicos rigor deontológico

Nicolau Vasco | Menongue

O reitor da Universidade de Cuito Cuanavale, Miranda Lopes Miguel, apelou, na cidade de Menongue, a um maior respeito aos princípios deontológicos e sentido de responsabilidade aos técnicos superiores de enfermagem, para melhor exercício da profissão.

Técnicos superiores de Enfermagem foram chamados a respeitar princípios deontológicos
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

Miranda Lopes Miguel fez este apelo durante a abertura das primeiras jornadas científicas do Instituto Superior de Ciências de Saúde do Cuando Cubango (ISCISA-CC), que tiveram duração de dois dias e decorreram sob o lema “Enfermagem-Uma Força de Mudança Face aos Desafios do Futuro”.
Miranda Lopes Miguel afirmou que o princípio deontológico e o sentido de responsabilidade, juntamente com a honestidade, humanismo, seriedade, humildade, patriotismo, entre outros valores que são altamente exigentes para a profissão, são, na verdade, factores decisivos para impulsionar e melhorar o desempenho de todos quadros formados na área de Enfermagem.
O reitor explicou que o país precisa de bons especialistas de saúde à semelhança daqueles que são formados na Universidade de Cuito Cuanavale.  Miranda Lopes Miguel disse que os professores e estudantes devem procurar sempre estar na vanguarda do conhecimento e cultivar a arte de duvidar, para melhorar o seu entendimento científico. “Os estudantes de Enfermagem devem aproveitar as novas oportunidades dadas pela revolução das tecnologias de comunicação e de informação, que permitem imensa pesquisa e de forma mais rápida, mas é necessário também absterem-se de alguns dos perigos que estas acarretam.”
O decano do ISCISA-CC, Daniel Capingana, reconheceu existir problemas que estão na base de comportamentos não sociáveis no meio académico, como a falsificação de trabalho, desinteresse no intercâmbio e a não participação nos trabalhos pedagógicos, científicos e culturais.
Por isso, defendeu a urgente necessidade de se ter dirigentes e docentes fortes, para introduzirem mudanças nos ingressos dos estudantes, uma vez que são estes últimos que vão trabalhar nas distintas unidades sanitárias, futuramente”, disse. Em função disso, o decano explicou que as jornadas, que visam partilhar conhecimentos e experiências entre professores, médicos, estudantes e outros profissionais, servem para despertar o interesse, principalmente, dos discentes na pesquisa científica.
Neste ano académico, o Instituto Superior de Ciências de Saúde do Cuando Cubango tem 283 estudantes matriculados, com aulas asseguradas por 21 professores angolanos e cubanos, dois quais 15 mestres. Durante as jornadas científicas, foram abordados temas como “O Papel da Enfermagem na Mudança dos Sistemas de Saúde” e “Identidade Profissional do Estudante de Enfermagem.

Tempo

Multimédia