Províncias

Revitalização do sector agrícola em curso

Nicolau Vasco | Cuchi

O Governo Provincial do Kuando-Kubango, liderado por Higino Carneiro, elegeu o sector da A­gricultura como o seu principal campo de batalha, tendo em vista transformar o sudeste de Angola num dos maiores produtores de bens alimentares diversos e tornar a região menos dependente das outras províncias e dos países vizinhos.

Governador Higino Carneiro (à direita) em conversa com alguns membros do Executivo sobre o crescimento do Kuando-Kubango
Fotografia: Jornal de Angola

O Governo Provincial do Kuando-Kubango, liderado por Higino Carneiro, elegeu o sector da A­gricultura como o seu principal campo de batalha, tendo em vista transformar o sudeste de Angola num dos maiores produtores de bens alimentares diversos e tornar a região menos dependente das outras províncias e dos países vizinhos.
O governador fez esta afirmação no acto provincial do Dia da Independência Nacional, alcançada a 11 de Novembro de 1975, durante o qual apelou a um envolvimento generalizado da população na produção de cereais, batata rena, arroz, feijão, hortícolas, frutas, tubérculos, repovoamento de aves e de gado.
Higino Carneiro salientou que o Executivo está atento às dificuldades do Kuando- Kubango e reforçou as verbas atribuídas a esta província, no quadro do Programa de Investimentos Públicos, que vai também suportar o sector agrícola, para atribuição de fundos, tractores, sementes e fertilizantes aos pequenos e grandes agricultores. 
“A província do Kuando-Kubango é um gigante agrícola, mas está adormecido, com enormes espaços de terras aráveis que podem produzir uma variedade de alimentos que, infelizmente, não são cultivados ou são cultivados em espaços muito pequenos, que não servem para alimentar as famílias por dois ou três meses”.

Ganhos da paz

Higino Carneiro destacou os resultados alcançados ao longo dos 37 anos de independência, dez dos quais de paz efectiva, com realce para a construção do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes, que está a permitir as trocas comerciais entre as províncias do Namibe, Huíla e Kuando-Kubango. Entre 2008 e 2012, a província beneficiou da reabilitação e construção de mais de 450 quilómetros de estradas inter-provnciais e municipais, nos troços Bié/Menongue, Menongue/Cuchi, Menongue/Caiundo, a­lém de outras que se encontram em curso e em fase de conclusão.
Segundo o governador, fruto da estabilidade política, na província do Kuando-Kubango foram igualmente construídas dezenas de escolas, hospitais, postos de saúde, habitações para os quadros e a reposição no seio da população de serviços sociais básicos, como á­gua potável e energia eléctrica. “Desde a minha chegada ao Kuando-Kubango tenho estado a visitar algumas instituições e, das constatações feitas até agora, o sector da saúde é o que mais me preocupa. Há escassez de vária ordem, como a deficiência das infra-estruturas, falta de equipamentos, médicos, enfermeiros e de medicamentos, apesar de sucessivas verbas enviadas pelo Executivo para o seu melhoramento”, disse o governador provincial. 
Higino Carneiro exortou os responsáveis da Saúde a fazerem um diagnóstico pormenorizado, no sentido de se determinar o que realmente está mal, para que se possa fazer uma gestão melhor dos recursos financeiros postos à sua disposição, principalmente para a compra de medicamentos, manutenção de equipamentos e higiene dos hospitais existentes  na região. 
O governador Higino Carneiro anunciou o reforço, nos próximos dias, de mais médicos cubanos e paramédicos angolanos, que vão ser colocados em todos os municípios da província do Kuando Kubango.
Relativamente ao fornecimento de água potável e energia eléctrica, anunciou que o sector vai receber novos investimentos, porque as linhas de transporte e distribuição da era colonial estão em avançado estado de degradação.
No sector de energia, segundo o governador, já está em fase de conclusão uma nova central térmica, com capacidade de 10 megawatts, e as linhas de transporte e distribuição também estão a ser revistas.
Para as águas, a cidade de Menongue vai poder contar, nos próximos tempos, com um novo sistema de captação e distribuição, numa primeira fase, para mais de 2.500 ligações domiciliares.    

Tempo

Multimédia