Províncias

Rivungo aumenta habitação em Junho

O município do Rivungo, a cerca de 700 quilómetros da cidade de Menongue, província do Kuando-Kubango, vai ter em Junho próximo 50 casas sociais do tipo T-3, construídas no quadro Programa Nacional de Urbanismo e Habitação, levado a cabo pelo Executivo para suprir a carência habitacional no país.

A construção de casas vai atrair quadros uma vez que a escassez de habitação tem sido a principal dificuldade para que muitas pessoas regressem para trabalhar na localidade
Fotografia: Carlos Paulino| Menongue

A informação foi avançada ao Jornal de Angola pelo administrador municipal do Rivungo, Júlio Vidigal, tendo acrescentando que a construção das referidas residências, a cargo das empresas Agostinho e Ruraque, está oraçada em pouco mais de 300 milhões de kwanzas. A obras, iniciadas em Março de 2012, decorrem a um ritmo acelerado e neste momento está-se a trabalhar  em várias  áreas, como no sistemas de canalização, pavimetação e electricidade e na pintura das casas.
O responsável prevê que a conclusão das residências vai atrair quadros para o município, pois a escassez de habitação tem sido a principal dificuldade que faz com que muitas pessoas se recusem a trabalhar nas localidades.
Muitos quadros administração, técnicos de saúde e professores colocados em várias localidades abandonam os seus postos de trabalho por falta de condições, sobretudo habitacionais, disse.
“Pretendemos de igual modo criar internamente condições de acomodação para atrair investidores, mas, para tal, temos de nos organizar. Acreditamos no desenvolvimento do município do Rivungo, mas, para isso, necessário a entrega e o apoio de todas as forças vivas do município ”, sustentou.

Dificuldades de acesso


O administrador municipal do Rivungo afirmou que o mau estado das estradas e a falta de pontes em alguns percursos condicionam o desenvolvimento da região.
Júlio Vidigal apontou ainda como referiu-se ainda à questão do reassentamento de cerca 40 mil pessoas em 13 aldeias. Numa primeira fase, as autoridades vão quantificar os bens e serviços a colocar à disposição das populações espalhadas nessas áreas. O responsável acrescentou que o município necessita de tractores e embarcações a motor para apoiar os camponeses e pescadores artesanais, que vivem imensas dificuldades. Outra preocupação manifestada por Júlio Vidigal prende-se com a falta de ambulâncias para o transporte de doentes das comunas de Chipungo e Luiana para a sede municipal.
O sector da Educação precisa neste momento de 810 carteiras e 18 quadros negros para as cinco escolas construídas nas localidades de Wefu, Neriquinha, Muyau, Jamba e Luiana.
O município do Rivungo faz fronteira, a leste, com a Zâmbia, a Sul com a Namíbia, a Norte e Oeste com o município de Mavinga e a Sudoeste com o Dirico. O principal rio é o Kuando.

Tempo

Multimédia