Províncias

Sanatório controla 100 doentes com lepra

Weza Pascoal|Meongue

O supervisor do Programa Provincial de Combate a Tuberculose e Lepra disse que o Hospital Sanatório de Menongue controla mais de 100 doentes com lepra, oriundos dos nove municípios da província, dos quais Cuito Cuanavale, Cuangar, Rivungo e a própria região de Menongue são os mais afectados.

Sanatório assiste doentes com lepra de todos os municípios
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro

Segundo Domingos Tchihungi muitos pacientes recorrem a tratamentos tradicionais, alegando que a medicina moderna não cura esta enfermidade, devido ao extenso período de tratamento que varia de 12 a 24 meses, mas passado algum tempo acabam por regressar a terapia moderna.
“A lepra multibacilar é a mais frequente nesta região, e pode ser transmitida através de gotículas de salivas e secreções das vias respiratórias, associada a hábitos precários de higiene, afectando a pele e os nervos da pessoa e pode atingir várias partes do corpo.
Novo hospital sanatório
O supervisor do Programa Provincial de Combate à Tuberculose e Lepra acha que ao Governo da província deve “exercer pressão” ao empreiteiro a quem foi adjudicado às obras do novo Hospital Sanatório, que se encontram abandonadas há mais de seis anos, para que conclua com urgência.
O novo Hospital Sanatório, segundo Domingos Tchihungi, está a ser construído na comuna do Missombo, a 16 quilómetros da cidade de Menongue. Está projectado para internar cerca de 150 doentes. “Desconhecemos o custo das obras, sabemos apenas que estão a cargo da construtora NNN Engenharia que ergueu apenas as paredes e abandonou as obras há já alguns anos”, frisou.

Tempo

Multimédia