Províncias

Sector privado criou milhares de postos

Carlos Paulino | Menongue

Mais de dez mil pessoas, na sua maioria jovens, conseguiram o primeiro emprego durante o primeiro semestre deste ano, na província do Kuando-Kubango, informou na sexta-feira, em Menongue, a directora local da Administração Pública, Emprego e Segurança e Social (MAPESS).

Vice-governador espera maior contribuição
Fotografia: Carlos Paulino |

Margarida Cafeca, que falava durante uma reunião com os membros do grupo técnico provincial multi-sectorial para o tratamento de dados numéricos sobre o mercado de trabalho, disse que a maioria dos jovens conseguiu emprego nos sectores privados de construção civil, agricultura, comércio, hotelaria e turismo.
A directora provincial salientou que os vários projectos e programas que a província tem estado a desenvolver, nos últimos tempos, têm contribuído significativamente para que se empreguem jovens e se reduza o índice de desemprego.
Por essa razão, defendeu a necessidade de se atrair mais investidores para a província, tanto nacionais, como estrangeiros, para que haja mais oportunidades de emprego. A responsável do MAPESS apontou ainda a fazenda agro-industrial do Longa, que se dedica à produção de arroz em grande escala, como um imponente projecto, que também tem absorvido muitos jovens para o mercado de trabalho.
Comparando com anos anteriores, disse que as empresas têm a­postado em jovens com boa formação académica ou experiência profissional e pediu à camada juvenil para aumentar os estudos e frequentar os centros de artes e ofícios. O vice-governador do Kuando-Kubango, Pedro Camelo, que presidiu ao encontro, referiu que o emprego se assume como um factor fundamental para garantir o sustento das famílias, no sentido de garantirem as mínimas condições de vida.
Sublinhou que a mão-de-obra local deve estar na primeira linha do preenchimento das poucas ofertas de emprego a nível da província, como recomendou recentemente o Presidente da República, José Eduardo dos Santos.
Pedro Camelo exortou os membros do grupo técnico provincial multi-sectorial a assumirem as suas responsabilidades e executarem com zelo e dedicação as tarefas reservadas a cada sector, no sentido de apresentarem trimestralmente informações sobre a evolução do mercado de emprego.
O vice-governador espera que todos possam contribuir neste processo, para que se possa ajudar a melhorar o comportamento do mercado de trabalho, uma vez que, dessa forma, vai ser fácil reformular, qualificar, revitalizar e proteger, com visão mais ousada de utilidade e propriedade, a actual praça empregadora.

Tempo

Multimédia