Províncias

Toneladas de frutas são infectadas

Carlos Paulino | Missombo

Uma fazenda na comuna do Missombo, Menongue, teve mais de três toneladas de laranja, da variedade “valência”, infectadas pela praga da mosca das frutas.

Uma das características da praga de moscas são as manchas circulares acastanhadas com que fica a fruta depois de apodrecida
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

O engenheiro agrónomo Francisco Muatchambi disse ao Jornal de Angola que a praga da mosca das frutas causa sobretudo danos à fruticultura quando as mesmas estão maduras. O micro organismo fica no interior e alimenta-se da polpa.
Uma das características peculiares deste tipo de praga nas frutas, acrescentou, são as manchas circulares acastanhadas e as partes atacadas geralmente amolecem ao ponto de apodrecerem e os frutos caem com facilidade das árvores.
Uma das formas de prevenção passa necessariamente pela aplicação de doses correctas de insecticidas adequados de 21 em 21 dias, para a erradicação ou para evitar a praga.
“É aconselhável que os citricultores ou camponeses tenham em conta as variedades mais resistentes contra determinadas enfermidades e em próxima ocasião o proprietário da fazenda deve envidar esforços para conseguir uma outra variedade”, disse.
Este é o primeiro caso da praga da mosca das frutas na comuna do Missombo e, talvez, na província do Cuando Cubango, segundo o agrónomo.  O proprietário da fazenda apontou a falta de um acompanhamento regular dos técnicos agrónomos do sector da Agricultura como uma das principais causas que estão na origem desta praga.
 “Este prejuízo é um retrocesso para honramos o nosso compromisso com o banco, uma vez que temos um crédito por pagar e o pagamento dos trabalhadores”, desabafa o proprietário da fazenda.

Apoio aos camponeses


Os camponeses  da região têm recebido vários apoios para aumentarem a produção, no âmbito do programa do Executivo de combate à pobreza nas comunidades. Entre os apoios dados pelo governo e parceiros sociais destaque para sementes, fertilizantes e instrumentos de trabalho. Os camponeses têm beneficiado também de créditos bancários.

Tempo

Multimédia