Províncias

Trabalhos de desminagem avaçam no Cuando Cubango

Nicolau Vasco | Menongue

Pelo menos, 100 mil metros quadrados de área suspeita com minas e outros engenhos explosivos, na antiga sede comunal do Jamba Cueio, a 142 quilómetros da cidade de Menongue, começaram a ser desminados ontem pelas brigadas do Instituto Nacional de Desminagem (INAD) e das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Técnicos trabalham com todo cuidado na Jamba Cueio, uma das zonas com mais minas no país
Fotografia: Nicolau Vasco | Edições Novembro | Cuando Cubango

O processo de desminagem, que terá a duração de três meses, será feito de forma manual e mecanizada, tendo em vista o nível de contaminação de engenhos explosivos não detonados na comuna do Jamba Cueio.
No acto do arranque do processo, o governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, disse que a província vai beneficiar de uma verba do pacote de 150 milhões de dólares, aprovado por Decreto Presidencial para a desminagem em várias regiões do país.
Júlio Bessa garantiu que “para acelerar o processo de desminagem” o Governo Provincial vai prestar apoio de combustível e outros meios “para que os trabalhos decorram sem sobressaltos”.
“A antiga sede comunal do Jamba Cueio é uma das zonas mais afectadas com minas na província. Recentemente cinco cabeças de gado bovino morreram por accionar engenhos explosivos”, salientou o governante, adiantando que, o Governo da província pretende implementar projectos de construção de imponentes infra-estruturas públicas nas zonas que estão a ser desminadas, concretamente na sede comunal do Jamba Cueio.
Júlio Bessa avançou que, depois da Jamba Cueio, o Governo local tem como prioridade a desminagem no troço Cuíto Cuanavale/Mavinga, num percurso de 220 quilómetros, com vista a viabilizar o corredor leste da província até a República da Zâmbia, na Estrada Nacional 280, cuja recuperação está condicionada por causa das minas.
“Quanto a questão da reabilitação do troço Cuíto Cuanavale/Mavinga, o Governo da província está a trabalhar na mobilização de recursos financeiros junto das autoridades centrais, para que após o processo de desminagem possa arrancar com as obras da estrada”, disse.
O governador provincial assegurou que o Programa de Desminagem nas zonas com maior interesse social e económico “vai merecer atenção especial” , para que o província possa atrair muitos turistas.

Tempo

Multimédia