Províncias

Unidade de saúde abre em Menongue

Carlos Paulino | Menongue

O governador provincial do Kuando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, inaugurou em Menongue, no quadro das festividades do 35º aniversário da Independência Nacional, um posto médico com 12 camas para internamentos, destinado à assistência médica e medicamentosa aos efectivos dos órgãos do Ministério do Interior.

Posto médico foi construído para dar assistência aos efectivos do Ministério do Interior
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

 
O governador provincial do Kuando-Kubango, Eusébio de Brito Teixeira, inaugurou em Menongue, no quadro das festividades do 35º aniversário da Independência Nacional, um posto médico com 12 camas para internamentos, destinado à assistência médica e medicamentosa aos efectivos dos órgãos do Ministério do Interior.
A construção do posto médico, que demorou 14 meses, foi financiada pelo Governo Provincial do Kuando-Kubango em 36 milhões de kwanzas, incluindo o seu apetrechamento. Tem uma área para assistência aos membros do Governo Provincial, banco de urgência, farmácia, consultório médico e sala de enfermeiros.
O delegado provincial do Ministério do Interior, comissário Tomé Laureano Neto, agradeceu o gesto do governador da província, Eusébio de Brito Teixeira, “porque não tem poupado esforços para melhorar as condições de vida e de trabalho dos efectivos da corporação”.
Tomé Neto afirmou que o posto médico é uma mais valia para a província, porque vai contribuir em grande medida para uma melhor assistência aos efectivos da instituição que dirige e vai descongestionar o Hospital Central de Menongue, que tem esgotada a sua real capacidade de internamento.
O posto médico do Ministério do Interior em Menongue, construído no perímetro da Direcção Provincial de Protecção Civil e Bombeiros, prevê também prestar assistência médica e medicamentosa aos familiares dos trabalhadores.
 Na província do Kuando-Kubango, no âmbito das comemorações do 35º aniversário da Independência Nacional, está programada ainda a inauguração de 27 casas da missão católica da diocese de Menongue, um lar da terceira idade e uma antena da operadora móvel Unitel no município do Cuchi e um espectáculo musical. O acto central provincial decorre em Mavinga, a 400 quilómetros de Menongue.

Gestão sustentada
 
Com vista a uma gestão sustentada dos sistemas de abastecimento de água e dos recursos hídricos na província do Kuando-Kubango, o Ministério de Energia e Águas promove desde segunda-feira, na cidade de Menongue, um seminário sobre mobilização social e formação de brigadas técnicas municipais.
Durante três dias, 30 participantes dos municípios de Menongue, Cuito Cuanavale e Cuchi, adquirem conhecimentos sobre mobilização social e a sua importância, métodos e técnicas de mobilização social, conceito de comunidade, participação e desenvolvimento, higiene e saneamento, elaboração de planos de acção, preparação de trabalho de campo e tarefas de uma brigada.
O director provincial de Energia e Águas, Filipe Sabino, na sessão de abertura, disse que o seminário se reveste de capital importância para a província, porque vai garantir acções eficazes no sector das águas e proporcionar melhores condições de vida às populações.

Fontanários destruídos
 
Filipe Sabino afirmou que muitas infra-estruturas construídas na região não têm encontrado receptividade por parte das comunidades beneficiárias, por isso, houve a necessidade de realizar este seminário que visa fundamentalmente munir os participantes de ferramentas que lhes permitem desenvolver projectos de água e saneamento nas localidades onde estão a trabalhar. O director provincial de Energia e Águas informou que existem casos em que os fontanários são destruídos sob o olhar silencioso de pessoas adultas, autoridades locais e mesmo das próprias comunidades beneficiárias. Esses actos de vandalismo obrigam o Governo Provincial a fazer reparações em obras novas, o que era desnecessário se a população colaborasse ou pelo menos impedisse a destruição dos fontanários.
“A água para chegar aos fontanários ou às nossas casas passa por vários processos, desde as bombas, tubagens, energia eléctrica, produtos químicos e força humana, o que acarreta muitos custos”, disse Sabino, acrescentando que por esta razão o seminário pode abordar também questões ligadas à comparticipação financeira dos beneficiários, como garantia da sustentabilidade dos sistemas de abastecimento de água. 
Sabino sublinhou que é fundamental que as obras em curso na província, uma vez terminadas, durem longos períodos em perfeitas condições, para benefício da população. Por isso, solicitou aos participantes para se munirem de conhecimentos durante a formação, para que o Kuando-Kubango siga o rumo de uma gestão sustentada dos sistemas de abastecimento de água e dos recursos hídricos.

Tempo

Multimédia