Províncias

Vacinação abrange milhares de cabeças de gado

Weza Pascoal| Menongue

O Governo do Cuando Cubango, em coordenação com o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural, mobilizou meios técnicos e humanos para vacinar mais de 120 mil cabeças de gado bovino e caprino, em toda a extensão da província, contra o carbúnculo hemático e sintomático, peripneumonia contagiosa bovina (PPCB) e dermatite nodular.

Governo provincial do Cuando Cubango e Ministério da Agricultura criaram todas as condições para o êxito da campanha de vacinação
Fotografia: Weza Pascoal | Menongue

Para o êxito da campanha, aberta pelo vice-governador para o sector económico, Ernesto Kiteculo, na comuna do Caiúndo, o Governo Provincial disponibilizou quatro viaturas todo-o-terreno, enquanto o Ministério da Agricultura enviou para o Cuando Cubango 200 mil doses de vacinas e dois médicos veterinários, para supervisionar os trabalhos que vão ter a duração de um mês.
O chefe de departamento provincial dos Serviços Veterinários, João Chamba, disse que foram constituídas seis brigadas. A primeira vai trabalhar nos municípios de Menongue e Cuito Cuanavale, a segunda no Cuchi, a terceira no Cuangar e Nancova, a quarta no Calai e Dirico, a quinta em Mavinga e a sexta no Rivungo. João Chamba explicou que cada brigada vai ter entre três a sete membros, de acordo com a estimativa de animais de cada localidade. Em Menongue, Cuangar e Calai existem mais de 110 mil animais por vacinar. Nos anos anteriores, o departamento dos Serviços Veterinários sentiu imensas dificuldades para vacinar o gado, por falta de meios de locomoção e de técnicos, uma situação que custou aos criadores de gado a morte de centenas de cabeças.
Devido à escassez de meios no passado, a acção esteve mais voltada para os municípios de Menongue, Cuchi e uma parte do Cuangar, onde foram vacinados mais de 13 mil animais.

Incentivo aos criadores


O vice-governador para o sector económico aconselhou os criadores a encararem a presente campanha com responsabilidade, para manter a saúde animal.
“Esta vacinação, que é feita todos os anos, mobiliza técnicos, equipamentos, bens e serviços, para que o gado seja tratado com todos os cuidados de saúde, porque só vacinando se vai poder manter o rebanho com uma taxa de reprodução aceitável, assim como tornar os animais um produto de comércio”, disse.
Arão Cassanga, um dos maiores criadores de Caiúndo, disse que está satisfeito com a iniciativa do Governo em vacinar o gado, porque desde Janeiro já perdeu nove cabeças de gado, devido a uma doença que desconhece qual.
O criador aconselha os seus parceiros a levaram os animais às mangas de vacinação, para serem imunizados, uma vez que naquela localidade é muito frequente o surgimento de surtos de sarna, que provocam a morte de muito gado.

Tempo

Multimédia