Províncias

A coragem da mulher que triunfou por mérito

Kátia Ramos | Ndalatando

Graciana Neves Caetano é uma mulher que se desdobra no desempenho de vários cargos na província do Kwanza-Norte, mas ainda assim reúne tempo para se dedicar à família.

Graciana Neves Caetano é professora desde 1974
Fotografia: Jornal de Angola

Graciana Neves Caetano é uma mulher que se desdobra no desempenho de vários cargos na província do Kwanza-Norte, mas ainda assim reúne tempo para se dedicar à família.
Mãe de três filhos, Graciana Neves Caetano é professora, subdirectora pedagógica do Instituto Médio de Saúde, membro do MPLA e da OMA e vice-presidente da Promoção da Mulher Católica (PROMAICA).
Bacharel em Ciências da Educação, pelo Instituto Superior Pedagógico de Kwanza-Norte, a entrevistada de hoje, do espaço Mulher de Mérito, dedicado ao Março Mulher, nasceu no dia 7 de Julho de 1954, no município de Ambaca, onde fez os estudos primários.
Em 1974, deu início à sua carreira como professora, na escola da Missão Católica de Camabatela, de onde saiu em 1985.
Entre os anos de 1987 e 1988, leccionou numa escola de Luanda, mudando-se, dois anos mais tarde, para a escola anexa ao Instituto Médio Normal de Educação, em Ndalatando. Em 1993, esteve a trabalhar na escola missionária Santa Maria Goretti, onde permaneceu até 2001.
Desde 1975 que é quadro da OMA, tendo feito parte do seu Secretariado em Ambaca, onde desempenhou as funções de secretária para a Informação e Propaganda, de 1976 a 1986.
Foi eleita coordenadora da comissão provincial da OMA, em 1988, e depois dirigiu o Departamento de Orientação Política e Informação da OMA.
Professora de português no Instituto Médio de Saúde e de Metodologia da Educação no Instituto Médio de Educação “Comandante Benedito”, Graciana Neves Caetano deseja ver a mulher angolana a ocupar cada vez mais o seu papel na sociedade. A professora é um exemplo vivo da coragem, da abnegação e do empenhamento da mulher na reconstrução nacional.

Tempo

Multimédia