Províncias

Administração municipal desapropria lotes de terreno

Mais de 400 lotes de terreno para a auto-construção dirigida na localidade do Quirima do Meio, município de Cazombo, a 18 quilómetros de Ndalatando, província do Cuanza Norte, serão desapropriados, ainda este ano, por abandono dos respectivos titulares, anunciou ontem o administrador-adjunto do município do Cazengo.

Fotografia: Jaimagens | Edições Novembro

Adão António Malungo disse que os terrenos foram distribuídos em 2011, mas até ao momento os beneficiários não mostraram interesse em construir. Recordou que as  parcelas foram preparadas num espaço de 50 hectares para a construção de residências, das quais apenas um cidadão edificou a sua casa, estado as demais zonas loteadas cobertas de capim, situação que está a criar embaraços ao processo de construção ordenada da região.
“Por esta razão, os actuais beneficiários vão perder os espaços, para que os terrenos sejam entregues a pessoas com vontade de construir”, referiu, para acrescentar que as  zonas loteadas constam do plano de expansão da cidade de Ndalatando, dada a inexistência de espaços para a construção no casco urbano. Todos os que receberam os lotes tinham aceitado as pré-condições.
“A cidade está rodeada de construções anárquicas que não dignificam nada a própria urbe e a orientação é que às áreas concebidas para a expansão da cidade, seja dado o devido aproveitamento”, sublinhou.

Jovens empreendedores

A administradora municipal de Quiculungo, província do Cuanza Norte, aconselhou no domingo, na localidade de Quisseque, os jovens a apostarem no empreendedorismo para a criação do seu próprio negócio e melhorarem o seu rendimento.
Ana Paula de Almeida fez tal pronunciamento durante um encontro que manteve com a população da referida aldeia e com jovens do Clube Desportivo Serra da Comba, vencedor da edição 2017 da fase provincial da Taça de Angola, enquadrado nas visitas de constatação às distintas localidades da circunscrição.
Disse ser importante que a juventude aposte no empreendedorismo, dada a incapacidade do Governo em garantir emprego a todos os cidadãos.
A administradora municipal acrescentou que em nenhuma parte do mundo é possível tal acontecer, porém, o Governo angolano está preocupado com o índice de desemprego no seio da juventude, tendo orientado a obrigatoriedade dos madeireiros, que exploram na região, no sentido de instalarem serrações na municipalidade para empregar os jovens locais.
Ana Paula de Almeida aconselhou ainda os jovens do município a aproveitarem as oportunidades formativas disponíveis nas instituições de formação profissional existentes no município, visando a sua preparação para o mercado de trabalho.
A responsável lembrou que o município ganhou neste ano um Centro de Formação Profissional Feminino que, conjuntamente, com o pavilhão de artes e ofícios ministram cursos de corte e costura, culinária, pastelaria, agricultura, serralharia, electricidade de baixa tensão, informática, alvenaria e carpintaria, que podem servir de grande valia na preparação da juventude.

Tempo

Multimédia