Províncias

Água do rio Muembeje provoca enfermidades

Marcelo Manuel

O Governo do Cuanza-Norte está a desenvolver um projecto para a descoberta das principais causas de contaminação física e biológica das águas do rio Muembeje, com o propósito de acabar com o surgimento de enfermidades que advêm do consumo da água, tais como a febre tifóide e a cólera.

População é aconselhada a evitar consumir água dos rios
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro


Os estudos estão a ser realizados pela Escola Superior Politécnica do Cuanza-Norte, através do seu departamento académico de análises clínicas e saúde pública, desde 2016, com conclusões prevista para o princípio de 2018.
Os estudos, encabeçados pelo professor mestre Rafael Lima Gianformaggio, têm como objectivos gerais a avaliação da qualidade da água do rio Muembeje, no município de Cazengo, através de pressupostos como o levantamento topográfico da área de estudo, que envolve os bairros circundantes, bem como a definição de dois pontos de recolha da água e compará-las, através de análises microscópicas, para a prospecção de parasitas.
De acordo com o professor Rafael Lima Gianformaggio, as infecções transmitidas pelo consumo de águas contaminadas são chamadas “doenças de veiculação hídrica”, em que a água serve de meio de transporte de agentes patogénicos, através dos dejectos ou outros poluentes. Fez saber que a zona mais contaminada é a do bairro Sambizanga, zona centro sul de Ndalatando, onde as contaminações surgem através da deposição de resíduos sólidos e fezes, facto que torna as águas e os peixes do rio impróprias para o consumo humano.

Tempo

Multimédia