Províncias

Água potável chegou a Cavunga

Manuel Fontoura | Ndalatando Silvino Fornato| Ndalatando

Mais de 500 habitantes da vila-sede da comuna de Cavunga e de aldeias vizinhas passaram a consumir água potável, desde segunda-feira, com a entrada em funcionamento de um sistema de captação, tratamento e distribuição, disse ontem o vice-governador provincial de Cuanza Norte para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas.

Habitantes de Cavunga e de aldeias vizinhas passaram a consumir água potável
Fotografia: Ja Imagens

Construído no quadro do Programa “Água para Todos”, o novo sistema do município de Ngonguembo foi inaugurado pelo vice-governador provincial de Cuanza Norte para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Erlindo Lidador.
A infra-estrutura está equipada com quatro reservatórios, sendo dois de 37 metros cúbicos a nível da sede comunal e igual número destes no bairro Nexe, com capacidade de 32 metros cúbicos.
O sistema dispõe  de quatro chafarizes e quatro quilómetros de rede de tubagem, para além da linha adutora.
O projecto  visa a instalação de furos artesianos, uma vez que a localidade carece de nascentes ou de rios com águas permanentes.
Esta situação dificulta a colocação de meios para o fornecimento de água potável.
Além do sistema de abastecimento de água, o vice-governador para os serviços Técnicos e I nfra-estruturas inaugurou, na comuna de Cavunga, uma escola primária de quatro salas, no quadro das acções de expansão da rede escolar em toda a província do Cuanza Norte.

Energia eléctrica

A capacidade de distribuição de electricidade aos arredores das cidades de Ndalatando e Dondo foi reforçada com a entrada em funcionamento, ontem, de três  estações, com capacidade para atender entre mil a 1.200 consumidores, disse o vice-governador provincial para a área Económica, Manuel de Abreu Perreirada Silva.
Manuel de Abreu Perreira da Silva inaugurou a  estação do bairro Sassa, em Ndalatando, e considerou que o projecto tem impacto positivo para a vida das populações, tendo recomendado rigor na manutenção e manuseamento dos equipamentos, para a sua durabilidade.
O director regional da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade, Alcides da Rosa, disse que as  estações   cobrem um terço das necessidades eléctricas das regiões beneficiadas, que já são sustentadas por outras unidades maiores.
Foram construídas duas  estações no Sassa, com quatro postos de transformação e um outro em Catome-de-Baixo com seis PT. A  estação do Dondo tem 21 postos de transformação de média e baixa tensão.
As unidades foram entregues à gestão da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE).

Tempo

Multimédia