Províncias

Angolanos e moçambicanos fazem troca de experiências

Casimiro José | Sumbe

Técnicos de organizações da sociedade civil que intervêm no processo de alfabetização em Moçambique visitaram os círculos de alfabetização e de ensino de adultos no Kwanza-Sul.

Edite Joaquim considerou frutífera a visita
Fotografia: Casimiro José|Sumbe

Técnicos de organizações da sociedade civil que intervêm no processo de alfabetização em Moçambique visitaram os círculos de alfabetização e de ensino de adultos no Kwanza-Sul. A visita destinou-se à troca de experiências, no quadro do projecto de alfabetização feminina em Angola e em Moçambique, o FELITAMO.
A delegação moçambicana, de que faziam também parte elementos da direcção nacional de educação de adultos do Ministério angolano de Educação, visitou os círculos de alfabetização nos municípios de Porto Amboim, Amboim, Quibala e Sumbe.
A delegação de Moçambique, acompanhada de técnicos da Associação Angolana para Educação de Adultos (AAEA), que em Angola desenvolve o projecto Felitamo, financiado pela União Europeia, inteirou-se do processo de ingresso nos círculos de alfabetização e de transição para os diferentes níveis de ensino, por intermédio do programa de alfabetização e de aceleração escolar e do método Aplica, que inclui a leitura e a escrita.
A coordenadora do projecto Felitamo em Moçambique, que chefiou a comitiva, disse que a visita superara as expectativas.  “Saímos bastante satisfeitos porque notamos que o processo de alfabetização e ensino de adultos nas localidades que visitamos decorre à luz do compromisso das próprias comunidades e da entrega total dos alfabetizadores”, afirmou Edite Joaquim.
A deslocação a  Angola da equipa técnica de Moçambique é a retribuição da visita, em Abril, de técnicos angolanos àquele país.
O projecto Felitamo, financiado pela União Europeia, é desenvolvido pela Associação Alemã para Educação de Adultos (DVV) e em Angola é aplicado em Luanda, Bengo e Kwanza-Sul, pela AAEA.

Tempo

Multimédia