Províncias

Ano agrícola com perspectivas ambiciosas

Kátia Ramos | Ndalatando

A província do Kwanza-Norte preparou para a época agrícola 2011/2012 um total de 83.770 hectares, dos quais 80.700 cultivados de forma manual.

Agricultores têm recebido vários apoios para aumentarem a produção nas comunidades
Fotografia: Santos Pedro

A província do Kwanza-Norte preparou para a época agrícola 2011/2012 um total de 83.770 hectares, dos quais 80.700 cultivados de forma manual.
Humberto Mesquita, director provincial da Agricultura, disse ao Jornal de Angola que, este ano, foram aumentadas as áreas de cultivo. Na época passada, ACRESCENTOU, foram preparados apenas 47.342 hectares.
O responsável da Agricultura acrescentou que, para a presente época, está prevista a inserção de 73.026 famílias, de 691 aldeias, que vão cultivar 14.606 hectares de milho, 32.861 de mandioca, 17.155 de amendoim, 17.155 de feijão, 2.000 de feijão macunde, 4.117 de batata doce e 130 de batata rena.
A referida produção pode permitir a colheita de 9.931 toneladas de milho, 586.636 de mandioca, 7.719 de feijão vulgar, 13.784 de feijão macunde, 1.236 de batata-doce, entre outros produtos.
O director provincial da Agricultura disse que estão disponíveis dez mil toneladas de semente de milho e a mesma quantidade de feijão manteiga, entre outras.
Em relação aos instrumentos de trabalho, estão disponíveis dez mil enxadas europeias, 15 mil tradicionais, dez mil catanas, cinco mil limas e 1.250 machados.
A direcção provincial da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas tem o registo de 217 associações de camponeses, compostas por 6.159 membros, e 43 cooperativas, constituídas por 2.623 membros.Crédito agrícola
O director provincial da Agricultura no Kwanza-Norte, Humberto Mesquita, afirmou que o Executivo disponibilizou a nível do país, para o presente ano agrícola, um montante avaliado em 150 milhões de dólares norte-americanos. Cada camponês terá direito a cinco mil dólares, destinados à compra de meios de produção. Porém, acrescentou, a cedência de crédito encontra-se paralisada, a fim de se encontrarem novas modalidades de entrega.Segundo Humberto Mesquita, o processo já beneficiou 3.689 camponeses dos municípios de Bolongongo, Quiculungo e Golungo Alto.  Os próximos a serem beneficiados são os camponeses de Cambambe, Cazengo, Ngonguembo, Lucala, Ambaca e Samba Cajú. 

Organização dos camponeses

O governador do Kwanza-Norte, Henrique Júnior, desafiou os pequenos e médios agricultores da província a concorrerem com os outros lavradores das províncias vizinhas, no fornecimento de produtos aos mercados da região.
“Verificamos que a maioria dos produtos agrícolas, como o repolho, tomate, cebola, entre outros, são na sua maioria provenientes das províncias de Luanda e Kwanza-Sul”, disse o governador. Apelou aos produtores a organizarem-se, para melhorarem a gestão dos apoios que o Governo pretende prestar, com vista a suprir as dificuldades com que se debatem.

Tempo

Multimédia