Províncias

Apertado o cerco a caçadores ilegais

A administração municipal do Golungo Alto, na província do Cuanza Norte, tem agendada para 2017 a criação de uma comissão multissectorial de combate à caça furtiva na região, cujos efeitos estão a colocar algumas espécies em risco de extinção.

A medida consta do comunicado divulgado no final da reunião de ontem do Conselho de Auscultação e Concertação Social, referindo que a comissão deve trabalhar com as administrações comunais para determinar os períodos de caça, licenciamento dos caçadores e registo das armas de caça. A reunião, orientada pela administradora municipal, Teresa da Costa, determinou ainda a adopção de medidas fiscais viradas ao reforço da arrecadação de receitas e recomendou que se trabalhe com as estruturas competentes para que o município agrícola do Golungo Alto possa contar em 2017 com uma Repartição Fiscal de Finanças.

Tempo

Multimédia