Províncias

Aumenta o número de infecções urinárias

Kátia Ramos| Ndalatando

As autoridades sanitárias do Kwanza-Norte estão preocupadas com o aumento de casos de infecções urinárias registados em algumas unidades sanitárias de Ndalatando, durante o primeiro trimestre deste ano.

As autoridades sanitárias do Kwanza-Norte estão preocupadas com o aumento de casos de infecções urinárias registados em algumas unidades sanitárias de Ndalatando, durante o primeiro trimestre deste ano.
De acordo com a responsável local do Centro Materno Infantil, Catarina Ribeiro, foram diagnosticados 58 casos da doença em mulheres grávidas e em jovens com idade fértil durante exames de rotina, o que representa mais 38 casos em relação a igual período de 2009. Segundo dados hospitalares, este número está longe da cifra real, uma vez que muitos casos não chegam sequer ao conhecimento das unidades sanitárias.
A responsável, que falava à imprensa no âmbito de uma sessão de esclarecimento sobre os perigos da doença nas gestantes e em jovens em geral, afirmou que o aumento drástico destes casos está a preocupar a instituição, porque estas infecções podem provocar infertilidade nas mulheres com idade de gestação. Catarina Ribeiro disse que as mulheres que residem em bairros distantes do centro da cidade são as mais afectadas. Considerou que as águas dos charcos e cacimbas existentes nestas áreas são, muitas vezes, a provável fonte de aumento e risco de contracção deste tipo de infecções nas mulheres e, consequentemente, dos parceiros. “Este tipo de infecção é mais frequente nas mulheres, mas é nos homens que a doença se manifesta mais depressa. Muitas vezes a mulher só se apercebe quando vai à consulta ou quando a situação já está agravada”.
Catarina Ribeiro aconselha as pessoas, particularmente do sexo feminino, a desinfectar a água que utilizam para a lavagem dos órgãos genitais com lixívia ou a fervê-la antes de ser usada.  

Tempo

Multimédia