Províncias

Aumentam na província as doenças respiratórias

Kátia Ramos | Ndalatando

Mais de mil crianças, dos dois meses aos sete anos, deram entrada no Hospital Municipal do Cazengo (Cuanza Norte) em menos de um mês, vítimas de infecções respiratórias, algumas delas agudas.

Progenitores são aconselhados a procurar os hospitais logo após os primeiros sintomas
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando

O director-geral do Hospital do Cazengo afirmou que a doença é, depois das diarreicas e da malária, a terceira causa de morte de crianças até aos cinco anos.
Em Janeiro, referiu o director, houve 1.162 casos, em Fevereiro, 2.1.184, sem registo de óbitos, e nos dois meses 132 internamentos em três mil consultas de crianças e adolescentes.  Franco Martins mencionou como causas principais das infecções respiratórias as alterações climáticas, as condições das casas onde se vive e a poeira.
 O médico também recordou que a poluição, produtos químicos e o tabaco podem provocar alergias em crianças e afectar-lhes as vias respiratórias. As infecções respiratórias quando não controladas, principalmente em crianças, lembrou, podem originar em morte.
Os sintomas da doença, acrescentou, são febre, escorrimento nasal, respiração ruidosa e tosse.

Tempo

Multimédia