Províncias

Autoridades da província avaliam o sector da Saúde

Marcelo Manuel | Ndalatando

A má gestão dos recursos disponibilizados pelo Estado para a compra de medicamentos, a fraca higiene e debilidades do bloco operatório do hospital central de Ndalatando preocupam o Governo provincial do Cuanza Norte, disse, ontem, o governador provincial do Cuanza Norte.

Realçada a necessidade urgente do controlo dos recursos disponibilizados pelo Estado
Fotografia: Nilo Mateus

José Maria Ferraz falava durante um encontro com os membros do Sindicato Provincial dos Enfermeiros e lamentou a ausência de melhores condições de trabalho para os enfermeiros no hospital geral “Doutor Agostinho Neto”.
O governado provincial realçou a necessidade “urgente” do controlo rigoroso dos recursos disponibilizados para gestão das unidades sanitárias da província.
No encontro com o sindicato dos enfermeiros, o governador provincial apelou a toda a sociedade  para a realização, no sábado, de uma megacampanha de limpeza   da cidade de Ndalatando e arredores.
“Temos de combater o lixo para acabar com as doenças”, disse o governador provincial, que destacou a necessidade do desassoreamentos dos rios, da redução das construções em zonas de risco, dos incentivo ao uso das latrinas e da criação de novos chafarizes e lavandarias.
José Maria Ferraz manifestou “inteira disponibilidade” para dialogar com as diferentes associações sindicais, sobretudo nas áreas da educação e saúde.
A responsável do Sindicato dos Enfermeiros no Cuanza Norte, Catarina Manico, mostrou-se preocupada com a fuga de enfermeiros para outros ramos de actividade, devido à falta de escolas para o aumento do seu nível académico, bem como à falta de meios de trabalho.

Tempo

Multimédia