Províncias

Bacharéis recebem diploma

André Brandão | Ndalatando

A Escola Superior Pedagógica do Kwanza-Norte procedeu, pela segunda vez, em Ndalatando, à entrega de diplomas e certificados a 273 bacharéis que terminaram, em 2010 e 2009, os cursos de Biologia, Física, Português/Inglês, Português/Francês, Educação de Infância, Química e Matemática.

Os estudantes agradeceram ao governo por ter tornado possível a abertura da instituição
Fotografia: André Brandão|ndalatando

 

A Escola Superior Pedagógica do Kwanza-Norte procedeu, pela segunda vez, em Ndalatando, à entrega de diplomas e certificados a 273 bacharéis que terminaram, em 2010 e 2009, os cursos de Biologia, Física, Português/Inglês, Português/Francês, Educação de Infância, Química e Matemática.
O director-geral da Escola Superior Pedagógica do Kwanza-Norte, António Inácio Rocha Santana, disse que a instituição coloca no mercado de trabalho técnicos bem formados e competentes, o que dignifica o nome do estabelecimento de ensino. Por isso, afirmou, “peço a todos que trabalhem com zelo, ensinando com dedicação, inteligência e competência”.
“A educação é uma das possibilidades de transformação da realidade social e solução de vários problemas”, disse António Inácio Rocha Santana.
Pediu aos estudantes recém graduados para que não se sirvam deste instrumento para resolver apenas os seus problemas, mas também ajudem com o seu saber e competência científica a transformar a sociedade e a resolver os problemas da província e do país.
O vice-governador para área económica, Manuel de Abreu Pereira da Silva, em representação do governador provincial, Henrique André Júnior, considerou que a formação dosestudantes em Ciências da Educação enriquece o Kwanza-Norte.
Em nome dos estudantes, Catarina Bernardete agradeceu o contributo do Governo Provincial por tornar possível a abertura da instituição de ensino superior na região, apesar de enfrentar dificuldades.
O professor de língua francesa, Guiome Nsaca Mvuma, manifestou a sua satisfação por ter contribuído ao longo dos anos, para ensinar e orientar os estudantes.
O finalista Pedro Zenha António, de 59 anos, aconselhou a juventude e todos aqueles que lutaram pela pátria a aproveitarem a Escola Superior Pedagógica do Kwanza-Norte para aprenderem mais: “nunca é tarde para o saber”.
Dos 273 bacharéis, 255 terminaram o curso em 2010 e 18 em 2009.

Tempo

Multimédia