Províncias

Baixas irrigadas do Kiova e Longo relançam a produção de alimentos

Manuel Fontoura | Samba-Lucala

O sector da Agricultura no município de Samba-Cajú, cerca de 102 quilómetros a norte de Ndalatando, está a registar melhorias consideráveis com a entrega de meios de trabalho aos camponeses da região, no quadro do Programa do Executivo de Combate à Fome e à Pobreza no Meio Rural.

Governador do Kwanza-Norte Henrique Júnior fez a entrega de um tractor e alfaias agrícolas aos camponeses da baixa do Longo
Fotografia: Silvino Fortunato

O sector da Agricultura no município de Samba-Cajú, cerca de 102 quilómetros a norte de Ndalatando, está a registar melhorias consideráveis com a entrega de meios de trabalho aos camponeses da região, no quadro do Programa do Executivo de Combate à Fome e à Pobreza no Meio Rural.
Ao longo da semana, o governador do Kwanza-Norte, Henrique André Júnior, visitou os campos agrícolas localizados nas baixas irrigadas do Kiova e Longo, na comuna de Samba-Lucala, município de Samba-Cajú, a 116 quilómetros de Ndalatando.
A baixa irrigada do Kiova possui cinco hectares, enquanto o centro irrigado de Longo é agregado por oito hectares, onde já germinam as sementes de feijão, milho e ginguba.
Henrique André Júnior visitou antes as obras de construção de uma escola, um posto médico e a casa do enfermeiro no sector de Muloco.
O governador provincial do Kwanza-Norte procedeu depois à entrega de um tractor com as respectivas alfaias, como grade, abre rego, charruas, moageira, catanas, enxadas, limas e sementes de milho aos camponeses locais.
Cadernos escolares, utensílios de cozinha e aparelhos de som foram igualmente entregues aos habitantes de Samba-Lucala.
Henrique Júnior incentivou os camponeses a erradicarem o analfabetismo, bem como o cultivo do hábito de ouvir os programas de rádio, particularmente temas educativos.
O chefe da Estação de Desenvolvimento Agrário de Samba-Cajú, André Yoba, disse que o município tem como meta para o presente ano a mecanização de cerca de 200 hectares de terra, e até ao momento perto de 152 foram já trabalhados.

Associações

Com cerca de 65 associações, o município de Samba-Cajú dispõe de mais de cinco mil associados e tem como principais culturas o feijão, milho, ginguba, mandioca, batata-doce e inhame.
Segundo o agrónomo André Yoba, o EDA tem estado a apoiar os camponeses com assistência técnica, através de ensaios demonstrativos das novas técnicas de cultivo.
“Alguns camponeses que insistem em cultivar segundo as normas anteriores, depois de verem os resultados obtidos nos nossos campos de demonstração, concluem que a melhor forma de produzirem mais e melhor, é seguindo as nossas instruções”, referiu.
Numa mensagem de agradecimento em nome de 80 famílias camponesas da comuna de Samba-Lucala, a camponesa Teté Canvula disse que o Executivo não se esquece das populações.
Segundo Teté Canvula, a baía do Longa esteve inactiva durante  mais de 30 anos devido à guerra, mas agora o medo de lavrar  a terra acabou e as populações com o apoio do Executivo estão dispostas a dar o seu melhor para acabar com a fome e a miséria, porque “o nosso chão dá tudo”.
“Graças às máquinas, conseguimos desbravar os caniços que invadiram o campo e com o encorajamento da Administração Comunal de Samba-Lucala, estamos a fazer tudo para aumentar a produção”, disse. A agricultora sublinhou que a comuna do Samba-Lucala vai voltar a ser o celeiro do Kwanza-Norte.

Tempo

Multimédia