Províncias

Cambambe precisa de professores e salas

Marcelo Manuel | Cambambe

Em Cabambe há 12.218 crianças entre os seis e 11 anos fora do sistema normal de ensino por falta de professores e de salas de aulas, revelam dados revelados no Dondo, na apresentação e validação do perfil dinâmico daquele município do Cuanza Norte.

As autoridades locais envidam esforços para que todas as crianças do município possam aprender a ler e escrever
Fotografia: Nilo Mateus

O município tem 327 professores no ensino primário, 129 no primeiro ciclo e 89 no segundo.
O documento refere que alunos de 36 das 47 escolas do muncípio têm merenda escolar.
O perfil dinâmico do município de Cambambe refere igualmente que a direcção municipal da Saúde funciona em estruturas impróprias.
Cambambe tem hospital municipal, quatro centros e 14 postos de saúde, além de um de testagem e tratamento voluntáriodo VIH/Sida, com um total de 219 camas.
No município são prestados serviços de medicina geral, ginecologia, obstetrícia, pediatria, ortopedia, farmácia e vacinação.
A malária é a doença mais frequente, que em 2013 causou 27 óbitos. Naquele ano foram detectados 115 casos de desnutrição. O município tem 127 técnicos, além de 65 de apoio.
Os habitantes das comunas de Massangano, Zenza do Itombe e Dange ya Menha passam a ter ainda este ano água potável, com a instalação de centros de captação e tratamento.O coordenador do grupo técnico municipal para a execução do perfil dinâmico de Cambambe disse que a cobertura da rede de distribuição de água nos bairros e aldeias se situa na ordem dos 40 por cento, na maioria dos casos com recurso a chafarizes e torneiras. Xavier Lourenço lamentou que cerca de 60 por cento da população de Cambambe continue a consumir água de rios e lagoas.
Na região estão em curso diversas acções sociais, para melhorar a qualidade de vida da população, com destaque para os sectores da saúde e da educação.

Tempo

Multimédia