Províncias

Cambambe regista casos de afogamento

Marcelo Manuel | Ndalatando

Os serviços de Protecção Civil e Bombeiros no Cuanza Norte registam em média um caso de morte por semana, por afogamento. Lucala e Cambambe são os municípios mais visados, devido às cheias que se registam nesta altura do ano nos rios Lucala e Cuanza.

De acordo com o porta-voz do Comando Provincial dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, André da Costa, a situação preocupa a instituição que actualmente trabalha na aplicação de 24 marcos para a sinalização das zonas tidas como críticas em termos de afogamentos nos dois rios. A província tem 12 especialistas em resgates aquáticos, dos quais seis mergulhadores e igual número de nadadores salvadores, tidos como insuficientes, em função do potencial fluvial que o Cuanza Norte apresenta.
No decurso do segundo semestre deste ano está prevista a formação de mais quatro nadadores salvadores a serem treinados na Escola Nacional de Formação de Bombeiros, na cidade de Luanda.
André da Costa informou que durante os últimos sete dias foi registado o desabamento de 24 casas e uma igreja, a par da inundação de outras oito. O município do Lucala regista o maior número de casos, com um total de 19, seguido por Cambambe com oito e Cazengo com dois. A maior inundação foi registada no túnel número dois da barragem de Cambambe, resultante da invasão de águas numa das comportas.
A queda de duas árvores entre a catedral da Igreja Católica e Escola Superior Pedagógica, em Ndalatando também provocou estragos. Os bombeiros também registaram três acidentes nas localidades de Maria Teresa e Mataba Dondo.

Tempo

Multimédia