Províncias

Casos de suicídio já são melhor estudados

Manuel Fontoura |

Os casos de suicídio, principalmente os provocados por enforcamento, que tendem a aumentar a cada ano a nível da província do Cuanza - Norte, devem ser melhor compreendidos a partir de agora, depois da entrada em funcionamento, ontem, do núcleo provincial dos psicólogos.

Vista parcial da cidade de Ndalatando que conta com um núcleo da Ordem dos Psicólogos
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro

Segundo o director provincial de Educação, Cristóvão Bemba, o núcleo deve assegurar a realização de estudos sobre os casos de suicídio, prestando uma atenção especial a esta  problemática que está a preocupar as autoridades e a sociedade local.
Cristóvão Bemba sugere ainda aos membros do núcleo de psicólogos para que prestem maior acompanhamento ao problema da fuga à paternidade  no seio das famílias locais, com acções de sensibilização, dirigidas principalmente  à camada masculina, defendendo  um estudo prévio que determina tais motivações.
O director provincial de Educação considera que as origens do comportamento não estão somente no nascimento ou mesmo durante a vida intra-uterina, mas também ao longo da história filogenética, em relação ao estudo do ambiente de adaptação evolucionária. Sublinhou que “os homens são resultado das predisposições ecológicas e da sua história individual e cultural. Dai a necessidade da regulação da mente na existência do homem”.
Um dos exemplos ressaltados pelo director tem a ver com a pessoa portadora de deficiência física, que mesmo sem os membros superiores e inferiores, mas com boa saúde mental, é capaz de desenvolver alguma actividade produtiva e gerir a própria existência do ambiente social em que vive.

Parceiros do governo

O presidente da região Norte da Ordem dos Psicólogos de Angola, Dissengomoka Sebastião Alexandre, afirmou que o órgão vai ser parceiro do governo da província do Cuanza-Norte , para a resolução de problemas de fórum psicológico.

Tempo

Multimédia