Províncias

Celeiro reabilitado

O perímetro irrigado do Mucoso, Cambambe, tem o arranque previsto para Janeiro, após beneficiar de uma profunda reabilitação que inclui um sistema moderno de irrigação.

A fase inicial do projecto inseriu a experimentação de culturas adaptáveis ao solo da região algumas delas melhoradas
Fotografia: João Gomes

A informação foi dada  à Angop pelo director da unidade, Miguel André Francisco. A fase piloto do projecto abarcou a experimentação de culturas adaptáveis ao solo da região, muitas delas pela primeira vez e com espécies melhoradas, tendo os indicadores dado provas para o arranque da produção.
Durante o processo de revitalização do perímetro foram preparados 500 hectares divididos em 166 parcelas de três hectares cada uma, para o cultivo de frutícolas e hortícolas.
Miguel André Francisco esclareceu que durante o processo, a fazenda passou pela reabilitação de 22 quilómetros e 200 metros de estradas circundantes, que permitem a livre circulação de pessoas e máquinas, um actividade que tem sido executada por 80 trabalhadores, incluindo técnicos formados no Instituto Médio Agrário do Cuanza Norte.
Actualmente, o perímetro conta com nove parcelas experimentais, maioritariamente dedicadas à produção de frutas, que entraram na fase de produção, ao fim de pouco menos de dois anos.
O perímetro abarca igualmente a produção de feijão, mandioca, melancia, melão e abóbora, que não faziam parte do plano da produção tradicional, mas que agora constam do actual figurino, incluindo as hortícolas. O director do perímetro irrigado do Mucoso referiu que durante o período experimental, as várias parcelas produziram 1,5 toneladas de produtos, comercializados nos mercados formais e informais do Cuanza Norte e Luanda.
Miguel André Francisco referiu que a fazenda esteve paralisada mais de 20 anos, como consequência da guerra, tendo o seu perímetro sido aproveitado para a prática de cultura de sequeiro. Com a sua completa reabilitação várias são as valências que a unidade vais proporcionar no âmbito da garantia do primeiro emprego a vários jovens.
Para assegurar o normal funcionamento do perímetro, a fazenda conta com um Posto de Transformação de energia eléctrica (PT) com capacidade para 250 Kva e um sistema alternativo, com três grupos geradores, sendo um de 700 Kva e dois de 50 Kva.
O Executivo investiu 1.300 milhões de Kwanzas para a reabilitação do perímetro irrigado do Mucoso, município de Cambambe Cuanza Norte, considerado celeiro nacional, no âmbito do reforço da produção de fruticultura.
O coordenador do projecto, Miguel André Francisco, referiu que a par da reabilitação do perímetro agrícola que compreende a fazenda do Mucoso, o projecto abrangeu igualmente a reabilitação de residências geminadas para os técnicos, áreas de serviço, construção de uma lavandaria e chafarizes comunitários destinados a atender as necessidades da comunidade de cerca de 1.700 populares residentes no perímetro adjacente ao projecto.Foi ainda construído um centro de estocagem de produtos que compreende três naves equipadas com camaras frigoríficas dotadas de uma capacidade de armazenamento de mil toneladas/ cada.
 Miguel André Francisco esclareceu que a fase inicial do projecto inseriu a experimentação de culturas adaptáveis ao solo da região, algumas delas melhoradas e cujos  indicadores dão provas para o arranque da produção já em Janeiro de 2015.
Informou que durante o processo de revitalização do perímetro foram preparados 500 hectares de terra para o cultivo de frutícolas, hortícolas, subdivididos em 166 parcelas de três hectares/cada. O responsável disse que o projecto de reabilitação do perímetro irrigado do  Mucoso abrangeu ainda a reabilitação de 22 quilómetros e 200 metros de estradas circundantes que estão a facilitar a livre circulação de pessoas e máquinas, a par de garantir emprego a mais de 80 trabalhadores, entre os quais jovens recentemente formados no Instituto Médio Agrário do Cuanza Norte.
 
Selecção de plantas

Miguel André Francisco disse que após a conclusão dos trabalhos de reabilitação, executado pela empresa espanhola “INCATEMA”, decorre actualmente o processo de transferência do empreiteiro para o Governo, que adjudicou a sua responsabilidade a Sociedade Gestora dos Perímetros Irrigados de Angola, a quem cabe a elaboração dos modelos a serem aplicados a pessoas singulares ou colectivas, interessadas em exercer actividade agrícolas nos espaços.
Entre as responsabilidades da empresa contratadas, consta o abastecimento de água, visando garantir o funcionamento de 23 quilómetros de canalização em linhas mestras de água sob pressão, alimentado por um sistema de captação com capacidade de 1. 800 metros cúbicos/hora e uma estação intermédia.

Plantas e sementes


O perímetro dispõe de uma estufa de 2.500 metros quadrados, onde vão ser seleccionadas as plantas e sementes para posterior aplicação nos 500 hectares que compõem o perímetro. Para assegurar o normal funcionamento de alguns equipamentos, a fazenda conta com um Posto de Transformação de energia (PT) com capacidade para 250 Kva e um sistema alternativo, com três grupos geradores, sendo um de 700 Kva e dois de 50 Kva.

Tempo

Multimédia