Províncias

Centenas de novas casas em construção

Kátia Ramos | Ndalatando

Mais de 300 casas para a população de baixa, média e alta renda do bairro Tenga, em Ndalatando, são erguidas nos próximos dias, anunciou ontem o director geral da Empresa de Empreendedorismo Habitacional (EFES), António Bagão.

As casas que começam a ser erguidas nos próximos dias no bairro Tonga vão ser habitadas por famílias com rendimentos diversos
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de 300 casas para a população de baixa, média e alta renda do bairro Tenga, em Ndalatando, são erguidas nos próximos dias, anunciou ontem o director geral da Empresa de Empreendedorismo Habitacional (EFES), António Bagão.
António Bagão disse que a construção das residências surge no âmbito de um projecto apresentado às autoridades, que abarca a criação de um shopping e uma fábrica de motorizadas.
Em relação à fábrica de motorizadas, denominada King FM, o responsável adiantou que a sua instalação arranca também em breve.
António Bagão disse que o programa visa, na sua essência, facilitar a criação de habitações para as populações de baixa renda, tendo esclarecido que a aquisição das mesmas depende apenas da inscrição e capacidade financeira dos interessados.
As casas, disse António Bagão, são vendidas de forma faseada e a amortização feita em cinco prestações. Os valores para a sua aquisição variam entre os 85, 55 e 45 mil dólares.
Quanto à duração das obras, o responsável disse que tanto as residências, como o Shopping e a fábrica, duram cinco meses.


Acomodação condigna


O vice-governador provincial do Kwanza-Norte para o sector técnico, Arlindo Lidador, sublinhou que nos últimos anos o Executivo tem desenvolvido inúmeros projectos ligados a determinadas áreas da vida social, referindo-se àqueles que visam a acomodação condigna dos angolanos.
Arlindo Lidador disse que a nível da província existem vários pontos de reservas fundiárias, umas registadas a nível da conservatória do Kwanza, como as dos municípios de Cazengo, Lucala, Bolongongo e Samba-Cajú, num total de 104 mil hectares.
O vice-governador acrescentou que em Ndalatando já foram limpos 300 hectares, destinados à construção de projectos habitacionais, nos bairros do Tenga, Catome de Baixo e Camuaxi, cujos planos de urbanização estão já definidos.
O governante referiu que o cidadão interessado em adquirir uma parcela de terreno deve dirigir-se à administração municipal, solicitando, através de um requerimento, uma parcela de terra, juntando a este documento uma cópia do Bilhete de Identidade.
O vice disse que o objectivo é que toda a população tenha a sua parcela de terreno em zona devidamente urbanizada, para evitar as construções desordenadas que, infelizmente, são visíveis à volta da zona urbana do Cazengo e de outros municípios.
O governo provincial prevê, no âmbito dos projectos de reconstrução nacional, a construção de residências, num total de cinco mil. O grande objectivo é atingir as populações com poucos recursos.

Tempo

Multimédia