Províncias

Chuvas destroem campos agrícolas

Silvino Fortunato | Dondo

Cerca de 30 fazendas agrícolas do município de Cambambe, na província do Cuanza Norte, estão a registar perdas de plantações por causa das cheias provocadas pelas chuvas.

O vice-presidente da União Nacional dos Camponeses (UNACA) em Cambambe, Daniel António, disse sexta-feira que a situação está a ser agravada pelo transbordo das águas dos rios Cuanza e Lucala.
As cheias afectaram o trabalho de 825 famílias camponesas agrupadas em mais de dez associações e cooperativas, por terem as fazendas nasmargens dos rios.
Em função desta situação, Daniel António salientou que a meta da safra programada para o milho, banana, batata-doce, mandioca, beringela, cana-de-açúcar, limão e outros produtos está comprometida.Daniel António indicou que outras fazendas estão inacessíveis dado o mau estado das picadas e vias terciárias.
Moisés Cazua, membro da Associação Nova Vida, confirmou que os camponeses estão a perder cultivos, com destaque para o bananal e o citrino.O agricultor Mateus Alberto, da cooperativa “Mãos Largas”, considerou preocupante o efeito das cheias e disse temer que se verifique carência de produtos. Segundo Alberto, algunsmembros da cooperativa consideram a hipótese de transferirem as culturas para regiões mais altas, de modo aevitarem as cheias. Amaior parte dos diques encontra-se inoperante, o que dificulta o escoamento das águas dos rios, sendo urgente a reparação das represas.

Tempo

Multimédia