Províncias

Colóquio sobre nacionalismo angolano

A contribuição da província do Cuanza Norte para o nacionalismo angolano foi debatida ontem, em Ndalatando, durante um colóquio realizado no âmbito do 60º aniversário da ascensão da localidade à categoria de cidade, a 28 de Maio de 1956.

Contribuição da província do Cuanza Norte na formação do nacionalismo angolano reuniu várias personalidades em Ndalatando
Fotografia: ANGOP

O encontro, promovido pela Administração Municipal do Cazengo, visou enaltecer a contribuição da província na formação do nacionalismo angolano e sua valorização pelo seu contributo no derrube do regime colonial português em Angola.
O historiador Manuel da Costa Canjungo, que dissertou sobre o tema, destacou a bravura e o sentido patriótico demonstrados por nacionalistas como Cónego Manuel das Neves, Mário Pinto de Andrade, Manuel Pedro Pacavira, António de Assis Júnior, Lopo do Nascimento, Adriano dos Santos Júnior e tantos outros, naturais do Cuanza Norte, e o contributo destes à causa do nacionalismo angolano.
A contribuição da província para o nacionalismo angolano remonta ao tempo de Nginga Mbande, soberana do Ndongo, quando esta resistia tenazmente, no território da actual comuna de Massangano, município de Cambambe, contra a ocupação colonial de Angola.
Manuel Canjungo lembrou ainda aqueles nacionalistas que protagonizaram a primeira manifestação pública de angolanos contra as autoridades portuguesas, em 1960, no então concelho de Golungo Alto, em que em pleno comício gritaram em voz alta que “não queremos mais aqui portugueses”.
Para se dar início à luta armada, em 4 de Fevereiro de 1961, um conjunto de nacionalistas angolanos pegaram em catanas e tomaram de assalto a cadeia da PIDE-DGS, em Luanda, onde se encontravam muitos patriotas, injustamente condenados pelos colonialistas portugueses, acção que teve como um dos mentores o Cónego Manuel das Neves, “um dos ilustres filhos” do Cuanza Norte. A província teve um intenso movimento de nacionalistas que com sentido patriótico e dedicação se bateram pela independência do país.
Membros do Governo Provincial do Cuanza Norte, entidades religiosas, autoridades tradicionais, estudantes, professores e efectivos da Polícia Nacional e das Forças Armadas Angolanas assistiram ao evento.
Além do governador do Cuanza Norte, José Maria dos Santos, estiveram presentes na plateia os nacionalistas Lopo do Nascimento e Adriano dos Santos Júnior, o escritor Arnaldo Santos, as deputadas Joana Lina e Teresa Cohen, o bispo emérito de Luanda, D. Anastácio Cahango, entre outros convidados.

Tempo

Multimédia