Províncias

Comuna de Kikiemba com um centro de saúde

Marcelo Manuel | Kikiemba

Um novo posto de saúde, escola primária e sistema de iluminação pública foram inaugurados no fim-de-semana na comuna de Kikiemba pelo governador provincial do Kwanza-Norte, Henriques Júnior, no quadro do programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.

Projectos sociais dão vida à comuna
Fotografia: Nilo Mateus

Um novo posto de saúde, escola primária e sistema de iluminação pública foram inaugurados no fim-de-semana na comuna de Kikiemba pelo governador provincial do Kwanza-Norte, Henriques Júnior, no quadro do programa de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza.
A unidade sanitária, orçada em mais de 34 milhões de kwanzas, dispõe de seis camas, uma farmácia, duas salas de internamento para homens e mulheres, e uma residência para técnicos.
A escola tem três salas de aula com 30 carteiras e vai acolher 240 alunos em dois turnos.
O coordenador da repartição comunal da Educação, Artur António João, revelou que estão matriculados 684 alunos, a partir da iniciação até à 8ª classe. O sistema de iluminação pública vai ser beneficiado com a colocação de cerca de 80 postes, com cabos aéreos, numa extensão de 1.500 metros, sustentados por um grupo gerador com capacidade de 110 kva.
O administrador comunal de Kikiemba, Hélder Kamuendiri, disse que, apesar dos empreendimentos inaugurados, a comuna carece de um sistema de abastecimento de água potável. Por isso, a população tem recorrido a dois riachos.
A esta situação, disse, associa-se o avançado estado de degradação das vias de acesso, que dificulta a circulação até à comuna da Vista Alegre, na província do Uíge, em busca de bens de primeira necessidade.
Durante a sua estada em Kikiemba, o governador Henrique Júnior ofereceu alguns produtos, como óleo alimentar, sabão, arroz, peixe seco, roupas usadas e outros bens.
A comuna de Kikiemba tem uma extensão de 320 quilómetros quadrados e possui cerca de 1.180 habitantes, que se dedicam essencialmente à criação de gado, à caça e à agricultura de subsistência, produzindo milho, feijão, mandioca e amendoim.
Segundo especialistas em recursos florestais, a flora local possui as melhores variedades de madeira, como a kibeba, moreira e tacula.
O administrador Helder Kamuen­diri manifestou o desejo de ver explorados estes recursos, bem como o cultivo do café, que no passado foi o maior produto comercial da região.

Tempo

Multimédia