Províncias

Cuanza Norte melhora índices sanitários

Manuel Fontoura | Ndalatando

O estado sanitário do Cuanza Norte tem grandes melhorias, fruto das intervenções públicas decorrentes dos programas e investimentos realizados, afirmou ontem, em Ndalatando, o governador provincial, Henrique Júnior.

Apesar dos avanços consideráveis registados na província o governador salientou que é necessário apostar mais na melhoria das condições sanitárias
Fotografia: Nilo Mateus|Ndalatando

Apesar dos avanços consideráveis registados na província, o governador do Cuanza Norte salientou que é necessário apostar mais na melhoria das condições sanitárias.
Henrique Júnior disse que a valorização dos recursos humanos e a melhoria do bem-estar da população permitem aumentar a esperança de vida da população. No sector da Saúde, disse, foram construídas novas infra-estruturas, estando actualmente em funcionamento 127 unidades sanitárias e disponíveis 1.050 camas hospitalares.
O Cuanza Norte dispõe de um hospital provincial e oito municipais, duas maternidades, 21 centros de saúde, 94 postos de saúde e um hospital materno-infantil. Henrique Júnior precisou que, em termos de quadro de pessoal, há uma clara evolução com um incremento, em seis anos, de 2.450 especialistas do sector.
Em 2006, a província tinha apenas 28 médicos e agora 72 actuais, 16 técnicos superiores e actualmente 47 actuais. Tinha 550 enfermeiros, estando agora com 885.
O governador revelou igualmente que, há oito anos, existiam 625 técnicos de apoio hospitalar e, hoje, os números subiram para 637. Os 62 técnicos terapêuticos e de diagnóstico subiram para os 78 actuais. Quanto ao sector da Educação, disse que os investimentos feitos permitiram a melhoria da qualidade do ensino.
Estes passos foram conseguidos através da construção, reabilitação e ampliação de infra-estruturas escolares em toda a província e da implantação de programas específicos, como a merenda escolar, o que veio a elevar o índice de assiduidade dos alunos.
Como sublinhou, o sector da E­ducação tem conhecido progressos quantitativos e qualitativos, quer no domínio da cobertura escolar e da qualidade de ensino, quer da expansão em toda a dimensão da província e da formação dos docentes e gestores de ensino, quer no da equidade. Esta área registou, em 2006, mais de 93.166 alunos matriculados, contra os 126.989, em 2013. Tinha 1.053 salas, possuindo actualmente 1.703 e registado um aumento de 2.762 professores, para 4.146.

Actividade económica


A actividade económica da província do Cuanza Norte, no contexto nacional, apresenta ainda resultados modestos, que a colocam em patamares não compagináveis com as suas potencialidades e com as aspirações do Executivo e da população.Para alterar a situação, são necessários investimentos públicos, mas, principalmente privados, em actividades de elevada capacidade de agregação de valor local e igualmente a adopção de um painel de incentivos gerais e específicos que ajudem a potenciar as vantagens competitivas da província.

Novos projectos

Devidamente alinhado ao Plano Nacional de Desenvolvimento até 2017, o Governo Provincial gizou o seu programa assente em projectos e iniciativas de impacto local.
Com o objectivo de promover os sectores económicos e melhorar a oferta e a qualidade dos serviços a nível da educação, saúde, energia e água, habitação e outras infra-estruturas económicas e sociais da província foi elaborado, para o exercício económico deste ano, um programa constituído por 70 projectos, cujos estudos de viabilidade foram aprovados pelo Executivo.
Entre eles está a reabilitação e ampliação da Escola Superior Politécnica, a construção de um centro infantil em Ndalatando, construção do Hospital Municipal de Samba Caju, ou a reabilitação e ampliação do hospital do Dondo.
A meta para o sector da saúde é expandir os serviços, podendo ter um incremento de 80 camas hospitalares e a diminuição da morbilidade materno-infantil, redução da proliferação de surtos epidémicos e restruturação de espaços públicos e de convívio.

Tempo

Multimédia