Províncias

Defendidas boas relações pessoais nas instituições

Marcelo Manuel | Ndalatando

A intriga, a calúnia, o boato e a difamação no seio dos funcionários públicos do Cuanza Norte foram entendidas pelo governador provincial, José Maria dos Santos, como factores de incompetência por parte de quem as provoca, com o propósito de esbanjar e usar de forma indevida os recursos e meios do Estado.

O governador provincial disse ontem que os verdadeiros funcionários devem pautar a sua conduta pelo trabalho árduo e honesto, transparente e disciplinado, criando no seio laboral um clima de gestão criteriosa dos recursos disponíveis, visando o alcance das premissas de desenvolvimento integrado da província.
José Maria dos Santos disse prever para este ano o fortalecimento das relações entre as pessoas e as instituições do Estado, aproximando a acção governativa dos cidadãos, com o objectivo de desenvolver nestes o sentimento de pertença, garantindo a abertura de participação nas acções do Governo. “
A boa governação só é possível através da aplicação de pressupostos como o rigor, disciplina, autoridade do Estado e assunção de responsabilidades perante o povo, que, em sua opinião, é o alvo principal da acção governativa.

Tempo

Multimédia