Províncias

Dezenas de doadores abraçam causa solidária

Marcelo Manuel | Ndalatando

A escassez de sangue no centro de hemoterapia do hospital central de Ndalatando foi minorada no passado fim-de-semana graças à mobilização de 34 doadores da JMPLA, que ali deixaram 17 litros de sangue.

Membro da JMPLA dá sangue no Centro de Hemoterapia do Hospital Provincial do Kwanza-Norte
Fotografia: Nilo Mateus | Ndalatando

 A escassez de sangue no centro de hemoterapia do hospital central de Ndalatando foi minorada no passado fim-de-semana graças à mobilização de 34 doadores da JMPLA, que ali deixaram 17 litros de sangue.
De acordo com o secretário provincial da organização juvenil do MPLA, António Paulino, o acto visa suprir as carências de sangue que registam no hospital de Ndalatando e assim salvar vidas humanas.  O responsável acredita que o gesto vai, doravante, mobilizar outras  forças vivas da sociedade local no sentido de se solidarizarem com os doentes que precisam de sangue.
O responsável pelo Centro de Hemoterapia, Moisés Kussevi, louvou o gesto da agremiação juvenil e referiu que durante o mês de Outubro o hospital recebeu 117 pedidos de transfusões, mas apenas pôde atender 96 casos. Até aqui, o centro contava com sete doadores controlados, que na opinião de Moisés Kussevi são incapazes de satisfazer o stock, com uma capacidade que ronda os 200 litros de sangue. As situações de urgência são, na sua maioria, colmatadas pelos familiares dos pacientes.
Miguel Sebastião, um dos 34 doadores, frisou ter abraçado a causa solidária por ter conhecimento das dificuldades existentes no hospital, uma vez que ouviu os sucessivos apelos feitos através dos órgãos de comunicação social local, prometendo ser um doador regular.
Inácia António, estudante de 18 anos de idade, afirmou que a vida é o bem mais precioso da humanidade e salvar uma é um gesto de cidadania e solidariedade, razão pela qual não hesitou quando foi convidada a ser doadora voluntária.

Tempo

Multimédia