Províncias

Direcção da Cultura prossegue combate às igrejas ilegais

O director provincial da Cultura no Kwanza-Norte, David Buba, anunciou ontem, em Ndalatando, que o seu sector vai fornecer ao governo provincial, nos próximos dias, uma lista com nomes de igrejas, seitas e grupos religiosos que realizam cultos ilegalmente.

O director provincial da Cultura no Kwanza-Norte, David Buba, anunciou ontem, em Ndalatando, que o seu sector vai fornecer ao governo provincial, nos próximos dias, uma lista com nomes de igrejas, seitas e grupos religiosos que realizam cultos ilegalmente.
O responsável fez este anúncio durante um debate sobre o fenómeno religioso no município de Cazengo e explicou que a lista será entregue com o objectivo de proibir essas igrejas de funcionarem na localidade. Aproveitando a ocasião, aconselhou os responsáveis das confissões religiosas que trabalham sem a devida autorização das autoridades provinciais a pararem com as suas actividades, sob pena de sofrerem severas punições.
David Buba, que presidiu à reunião, disse que a mesma visou esclarecer a condição de ilegalidade de uma igreja, as formalidades para a sua legalização e como colher informações sobre a existência de confissões religiosas que funcionam sem autorização, em determinadas comunidades locais. Sublinhou ainda que trabalhos do género foram realizados em nove dos dez municípios da província, tendo considerado ser necessário haver rigor e responsabilidade no tratamento da questão do fenómeno religioso na região.
Por sua vez, o chefe do Gabinete de Apoio às Administrações Municipais e Comunais, Martinho Rodrigues, aconselhou as autoridades tradicionais a não cederem terrenos às igrejas, sem o consentimento da administração municipal. Reconheceu, no entanto, que as igrejas têm um papel relevante na sociedade, sobretudo nas áreas da educação, assistência social e educação moral e cívica.
Participaram no debate representantes de igrejas, autoridades tradicionais, de defesa e segurança entre outros. O encontro, organizado pela Direcção Provincial da Cultura, contou ainda com a participação de responsáveis do gabinete provincial de acompanhamento às administrações municipais e comunais, Família e Promoção da Mulher, Instituto Nacional da Criança.

Tempo

Multimédia